F3 Inglesa: Bruno Senna volta ao carro de 2005 na Bélgica

Chassi deste ano não pôde ser recuperado depois do acidente em Snetterton.

Bruno Senna terá de correr com o carro do ano passado nas próximas etapas do Campeonato Inglês de Fórmula 3, a primeira delas marcada para domingo em rodada dupla no circuito belga de Spa-Francorchamps. A minuciosa verificação realizada pelos técnicos da Räikkönen Robertson Racing constatou que o Dallara F306, acidentado em Snetterton na semana passada, não pode ser recuperado. Um novo chassi já foi encomendado, mas provavelmente só estreará em Mugello (Itália) em meados de setembro.

“Em termos práticos, nada muda. O Dallara de 2005 era muito bom. Aliás, na última vez em que andei com ele, ainda nos testes de pré-temporada, fiz o melhor tempo. O modelo deste ano só tem de diferente o kit aerodinâmico. Perda, não há”, garante Bruno, que passou na sede da equipe na segunda-feira para acompanhar o trabalho dos mecânicos. “Quando saí de lá, estava quase tudo pronto. Só faltava fazer o alinhamento”, disse.

As provas na Bélgica marcam a terceira saída da categoria dos limites da Inglaterra – a Fórmula 3 já se apresentou em 2006 na pista de rua de Pau, no sul da França, e em Mondello Park, na Irlanda. Bruno tem uma experiência mais do que limitada em Spa-Francorchamps. No ano passado, toda a programação do domingo foi cancelada em função da chuva e da densa neblina que cobriu a região. Depois de um único treino com o asfalto variando de úmido para molhado, as equipes recolheram os equipamentos e regressaram para a Inglaterra.

Bruno assegura que forte batida em Snetterton ficou para trás. “Está tudo normal. O que preciso agora é acelerar ainda mais para descontar o prejuízo de não pontuar em duas provas. Para dizer a verdade, assisti a algumas imagens do acidente e ele não me pareceu tão assustador como imaginava. Mas serviu para me deixar mais esperto. Pela tevê, fica claro que o Salvador Duran realmente me trancou.”

Com as duas vitórias em Snetterton, o inglês Mike Conway se distanciou na liderança com 154 pontos, contra 114 de Oliver Jarvis e 108 de Bruno Senna. “Tenho de voltar a vencer e ainda torcer para que o Conway não chegue nas primeiras posições, o que não é exatamente uma possibilidade das mais reais”, reconheceu Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *