F3 Inglesa: Em corrida “desgastante” Gabriel termina em 4º

Prova final da rodada de abertura em Oulton Park viu o curitibano como o melhor brasileiro. Agora, F3 segue para Silverstone.

Um sétimo lugar, uma pole position e uma quarta colocação foram os resultados de Gabriel Dias na primeira rodada tripla do Campeonato Britânico de Fórmula 3 em Oulton Park, abertura da temporada 2010 de um dos campeonatos de base mais prestigiados do automobilismo internacional. O piloto de Curitiba (PR), que faz sua estréia na International Class este ano pela equipe Hitech, sabia que teria um final de semana difícil, mas mesmo assim somou pontos importantes para este início de campeonato.

Na terceira, e mais longa corrida da rodada, disputada no final da manhã desta segunda-feira (5), Dias largou da sexta posição e recebeu a bandeira quadriculada em quarto, lutando pelo pódio. “Foi uma corrida boa, mas muito desgastante, difícil psicologicamente. Tive que manter a concentração o tempo todo pensando nas variáveis”, disse.

“Aqui em Oulton Park é obrigatório fazer uma boa largada, porque a pista é muito difícil de se fazer ultrapassagens. Então passei dois na largada e estava bem mais rápido que o terceiro colocado (o inglês Rupert Svendsen-Cook, da Carlin), e ele não tinha um ritmo muito bom. No entanto, não dava para fazer muita coisa. Se eu chegasse perto para pressioná-lo, eu perderia a pressão aerodinâmica na parte da frente do carro, perderia tempo e desgastaria os pneus com mais rapidez. Então a estratégia foi economizar e manter a concentração”, analisou.

A corrida foi vencida pelo francês Jean-Eric Vergne, da Carlin, que lidera o campeonato. No final, Gabriel ensaiou um ataque para conquistar seu primeiro pódio no ano. “Tirei a diferença mais uma vez, vinha em um ritmo muito forte, mas assim que me aproximei, perdi novamente o downforce do carro e ficaria muito arriscado. Por isso decidi somar estes pontos, que são importantes para este início de campeonato”, ressaltou Dias, que terminou logo à frente do compatriota Adriano Buzaid, da Carlin.

Fim de semana difícil – Sem treinos livres, os pilotos foram direto para o treino classificatório no sábado (3), e Dias se viu prejudicado por uma bandeira amarela quando tentava baixar seus tempos, e com isso largou na décima posição na primeira corrida e em sexto na terceira. Gabriel iniciou a temporada terminando a prova em sétimo lugar, e com o grid invertido, largou da pole position na corrida curta, que aconteceu na manhã desta segunda-feira (5).

Com pista úmida, o piloto da Hitech sofreu com um problema no uperload do carro ao acenderem as luzes de partida. “Com isso, perdi o ponto da embreagem e não fiz boa largada. Perdi a ponta para o (japonês Daisuke) Nakajima, mas continuei bem perto fazendo pressão. Eu estava bem mais rápido que ele, e na abertura da segunda volta eu o ultrapassei por fora pouco antes da curva 1, mas ele se desesperou, perdeu o ponto de freada e bateu na lateral do meu carro, me jogando para a grama molhada. Por sorte não foi um acidente maior”, lamentou Gabriel, que iniciou uma rápida reação para recuperar as posições perdidas. A prova foi vencida pelo britânico Rupert Svendsen-Cook, da Carlin.

“Consegui continuar na pista, fazendo voltas rápidas e ultrapassei cinco carros em duas voltas. Mas como era uma corrida mais curta, que valeria metade dos pontos em jogo na prova seguinte, a equipe decidiu recolher o carro para economizar os pneus”, lembrou o curitibano, que largou com o mesmo set na corrida da tarde. “Foi uma pena, porque era uma corrida para termos vencido e seriam dez pontos a mais na tabela”, disse o piloto, que soma 17 pontos na 7ª colocação do campeonato. Vergne lidera com 50.

Para a segunda rodada do campeonato, nos dias 1º e 2 de maio em Silverstone, Gabriel alimenta maior confiança. “Fomos bem nos últimos testes que fizemos lá. Além disso, sabíamos que Oulton Park seria a corrida mais difícil para a gente, e mesmo assim demonstramos uma grande evolução. Temos tudo para melhorar. Agora estamos com a cabeça voltada para Silverstone, pois sabemos que somos bons lá”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *