F3: Rodada tripla em circuito de rua não agrada Luiz Razia

Categoria fará neste fim de semana seqüência de três corridas no circuito de Santa Fé, na Argentina. Pista é considerada segura, mas ainda oferece os perigos de um traçado improvisado.

A Fórmula 3 terá neste fim de semana um desafio inédito nos quase 20 anos de história da categoria no continente Sul-Americano: uma rodada tripla no circuito de rua de Santa Fé, na Argentina. Após um período de 40 dias sem corridas, piloto e equipes voltam à ativa em ritmo acelerado e terão pela frente uma maratona de cinco treinos e três provas na pista de mais alto grau de dificuldade da temporada.

“Esta, sem dúvida, será a rodada mais difícil do ano”, acredita o líder do campeonato e vencedor das duas primeiras provas do calendário, Luiz Razia (Dragão Motorsport). “Fazer uma única corrida na rua já é complicado, porque esse tipo de traçado oferece maior risco de acidentes. Correr duas vez em um mesmo fim de semana é algo raro, mas acontece em pistas até mais perigosas que a de Santa Fé, como no GP de Macau. Mas três provas em um intervalo de apenas três dias é algo inédito”, completou o piloto baiano radicado em Brasília.

A pista de Santa Fé é considerada segura, mas ainda oferece os perigos de um traçado improvisado. Por esse motivo, o maior desafio dos pilotos será o de voltar com o carro inteiro para os boxes após cada um dos treinos e corridas. “O ritmo de trabalho vai ser intenso. Faremos um treino livre e dois classificatórios na sexta-feira, além da primeira corrida do fim de semana. No sábado, teremos mais um treino livre, outra classificação e a segunda corrida. Dia tranqüilo só mesmo no domingo, quando faremos apenas a terceira prova”, explica Razia.

Por ser realizada em um traçado de 3.143 metros, que apresenta largura superior ao das pistas de rua convencionais, a etapa de Santa Fé recebe, também, os modelos de turismo da TC 2000, principal categoria argentina. “O lado positivo dessa etapa é que ela deve ser vista por um público de cerca de 60 mil pessoas. Além de atrair a atenção por ser um evento na rua, há o fato de corrermos com a TC 2000, que é uma categoria muito querida pelos argentinos”, completou Luiz Trinci, o Dragão, chefe da Dragão Motorsport.

O calendário da Fórmula 3 Sul-Americana prevê a realização de outra rodada tripla no mês de outubro, em Buenos Aires, desta vez em um circuito permanente – e novamente com a TC 2000. Dessa maneira, continuam na programação de 2006 as mesmas seis corridas realizadas no ano passado em solo argentino. “As rodadas triplas são uma maratona mais cansativa e desafiadora, mas o lado positivo delas é a redução de custos, que para as equipes brasileiras chega a um terço do valor que seria gasto com três rodadas duplas”, finalizou Dragão.

Após duas corridas os seis primeiros colocados na Fórmula 3 Sul-Americana são:
1) Luiz Razia, 20
2) Mario Moraes, Bia Figueiredo e Fabio Beretta, 8
5) Lucilio Baumer e Nelson Merlo, 6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *