F3 Sulamericana: Formula 3 corre com TC 2000 na frente de grande público

A principal categoria de monopostos da América do Sul vai dividir palco com a melhor categoria do automobilismo da Argentina na segunda maior cidade do país vizinho.

A Fórmula 3 Sudam disputará a sua quinta rodada dupla neste final de semana (03/6 e 01/7) no Autódromo Oscar Cabalén, na cidade de Alta Gracia, província de Córdoba, 713 km ao noroeste de Buenos Aires. Na programação que incluirá também as modalidades locais Fórmula Renault 1.6, Copa Megane e Fórmula 4 será realizada a sétima etapa da TC2000, o campeonato argentino de turismo que recentemente esteve em Interlagos se apresentando junto com a Stock Car. “A TC2000 tem o mesmo sucesso na Argentina que a Stock car tem no Brasil. Então, já sabemos que teremos casa cheia e um intenso tráfego e congestionamento na estrada que liga a cidade de Córdoba até o autódromo”, diz Felipe Ferreira (Webmotors/CVC/Center Cargo/Hip Telecom/Puma), um dos representantes brasileiros na F3.

Fazendo a sua primeira temporada completa na Fórmula 3, e a segunda no automobilismo, Felipe Ferreira está empolgado com sua estréia internacional, e na possibilidade de brigar pela vitória na frente de mais de 30 mil pessoas. “A minha melhor apresentação no ano passado, foi na preliminar do GP Brasil de Fórmula 1 correndo na Fórmula Renault”, lembrou o piloto da Webmotors/CVC/Center Cargo/Hip Telecom/Puma. “Quem sabe agora eu consigo um resultado melhor ainda do que alcancei nesta temporada, mesmo sendo diante da torcida argentina”, espera o paulista, que ficou próximo de sua primeira vitória ao terminar na segunda colocação em Tarumã.

Novidade para todos os pilotos brasileiros, o traçado de 4.045 metros de Córdoba será um agradável desafio para Felipe Ferreira, que gosta de curvas rápidas feitas a 200 km/h, como em Tarumã, das retas longas que alcançam mais de 250 km/h, como no circuito de Curitiba, e curvas lentas e técnicas a exemplo do autódromo de Campo Grande. “A configuração do traçado que iremos utilizar lembra um pouco de cada um destes circuitos brasileiros. Sei que é um grande desafio conseguir um bom compromisso entre o acerto aerodinâmico para as retas e curvas rápidas, e o equilíbrio mecânico para contornar e tracionar nas saídas das curvas lentas. Mas o Dallara/Berta da Bassan Motorsport sempre foi bem nas pistas brasileiras e aqui na Argentina não será diferente”, aposta Ferreira, sempre um dos seis pilotos mais rápidos da categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *