F3 Sulamericana: Pilotos voltam a Interlagos elogiando a pista

A estréia do novo asfalto de Interlagos no GP Brasil de Fórmula 1 foi um sucesso. Todos os pilotos foram unânimes e aprovaram as mudanças realizadas.

Dez dias depois o autódromo foi aberto para treinos de todas as categorias que competem no Brasil, inclusive a Fórmula 3 Sul-Americana. O paulista Felipe Ferreira (Webmotors/CVC/Center Cargo/Alberflex/Puma) foi um dos que ficou mais empolgado. “O asfalto está demais. Tá animal”, exclamou.

As principais modificações na pista, que ficou interditada por mais de três meses, foram a implantação de um novo e moderno asfalto e a eliminação de quase todas as ondulações que marcavam o traçado. De acordo com Felipe Ferreira a pista está tão lisa que o controle do carro ficou inacreditável. “Dá pra tirar a mão do volante e o carro não muda de direção”, atestou o piloto da Bassan Motorsport. Ferreira acredita que com as novas características, a pista ainda ficará boa por muito tempo. “O interessante é que nenhum carro andou depois da Fórmula 1 nestes últimos 10 dias, já choveu, e a pista está emborrachada. Acho que é o tipo de asfalto que segura a borracha”, declarou.

As equipes de Fórmula 3 voltaram às atividades depois de quase quarenta e cinco dias. A última corrida aconteceu no circuito gaúcho de Santa Cruz do Sul, no dia 16 de setembro. Mas mesmo com o longo período de inatividade, o resultado das melhorias do circuito foi percebido rapidamente. Com cerca de 15 voltas no treino que fez em Interlagos, Felipe bateu o seu recorde pessoal em Interlagos em mais de meio segundo, mesmo usando pneus bem gastos. Ao final do dia, depois que usou pneus novos, sua marca já era cerca de um segundo e meio mais rápida. “Só andando para se ter uma idéia, está perfeito”, continua elogiando o oitavo colocado da categoria de acesso à Fórmula 1.

Com as novas condições do asfalto, o acerto do carro teve que ser modificado. “Fomos mudando o set up do carro quase como se fosse outra pista”, explica o representante da Webmotors/CVC/Center Cargo/Alberflex/Puma. Segundo o piloto até o estilo de pilotagem pôde ser alterado. “Está dando para frear mais dentro das curvas, e encurtar o caminho passando sobre as zebras internas”, conclui. As mudanças do “novo” Interlagos também foram bem recebidas pelos engenheiros que trabalham com a Fórmula 3. “O novo recapeamento ficou excelente. Agora ficou mais fácil fazer a engenharia do carro, podemos extrair o máximo dele. Conseguimos andar cada vez mais rápido”, observou Eduardo Bassan, titular da Bassan Motorsport. O dirigente afirma que está até mais prazeroso trabalhar no circuito paulistano. “Até que enfim fizeram algo bem feito pelo nosso principal autódromo”, finaliza.

Além do reconhecimento da pista, os treinos serviram com início de preparação para as próximas etapas da Fórmula 3 Sul-Americana no Rio de Janeiro, daqui a três semanas. As duas corridas cariocas são extra-campeonato e não valerão pontos. As provas finais acontecem em Interlagos, nos dias 15 e 16 de dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *