F3 Sulamericana: Pontuação da última prova será definida na próxima semana

Depois da prova do domingo ser paralisada devido a neblina, muitos se mostraram a favor ou contra a decisão.


O resultado foi confirmado, mas a pontuação de 100% ou 50% só será definida na próxima semana, em uma reunião da CoDaSur, já que as autoridades da prova preferiram deixar esta decisão em suspenso.

Confira as declarações de personalidades da categoria:

Néstor Valduga (Presidente da Subcomissão de Monopostos da CoDaSur):  LFoi uma decisão muito difícil de se tomar, a direção de prova deu por encerrada a corrida com bandeira vermelha priorizando a segurança dos pilotos. Lamentavelmente o clima e a neblina não permitiram um desenrolar normal da prova e toda a competitividade que a F3 poderia apresentar. Não podiamos esperar mais tempo, a programação de todas categorias que se apresentariam no fim de semana não permitiam mais alterações no horário. A decisão tomada,  priorizando a segurança dos pilotos, foi a mais acertada.

Amir Nasr (Diretor Propietário da Amir Nasr Racing): Uma lástima, mas a realidade indica que o clima é uma coisa que não podemos controlar. A decisão foi muito bem tomada. Tinhámos um horário a cumprir e não havia mais o que tentar. Largamos na esperança de que a visibilidade melhorasse, mas quando se viu que isso não aconteceria a decisão tomada foi correta, uma vez que preservar a vidad dos pilotos é o mais importante.

Darcio dos Santos (Diretor Propietário da Prop Car Racing): Minha opinião é de que não deviria se ter largado. Deviamos ter esperado mais um pouco e tentar chegar a uma outra solução com os comissários. Isto foi um passeio na pista e não uma corrida. Completou-se 80% da corrida e a prova foi válida, uma pena pois se poderia ter esperado mais um pouco em respeito ao público maravilhoso, que esperava ver os pilotos lutando pela vitória.

Augusto Cesario (Diretor Propietário da Cesario Fórmula): É uma situação e decisão difícil para os comissários desportivos e para autoridades, que tem de determinar o que fazer assim rapidamente. Acredito que a história tem dois lados, a competitividade e a segurança dos pilotos, que é o mais importante em uma situação como esta. Por sorte e graças à Deus, tudo saiu bem e não teremos que lamentar nenhum acidente devido a falta de visibilidade que se abateu sobre o circuito. Temos de ter em conta que a segurança dos pilotos é o mais importante, e estou de acordo com a decisão tomada.

Clemente Faria Jr.: Foi a primeira vez que corri uma prova desta maneira. Largamos com o safety-car e acredito que no fim a decisão foi a mais acertada; a visibilidade era nula e não podíamos arriscar a ter um acidente. Os setores mais complicados eram a curva 1, na entrada do misto e por consegüinte não conseguíamos ver a curva 2, que é a mparte mais rápida do circuito. Para mim foi um bom fim de semana, já que largava da pole e terminei do mesmo modo. Ontem sai em segundo e terminei na mesma posição.

Romancini: Muito atípico, mas a decisão foi acertada porque não se via absolutamente nada. Não teve corrida, foi um passeio pela pista, mas não poderia ser de outra maneira. O mais importante é preservar a vida dos pilotos, só lamento não ter feito a pole ontem, já que hoje não pude brigar pela vitória. Mas o fim de semana foi muito importante, e acredito que se a corrida tivesse sido normal teria brigado plea vitória.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *