F3 Sulamericana: Uma análise da nova geração após a estréia

Categoria apresentou na pista novo grupo de jovens que já a partir de 2008 representarão o Brasil no exterior.

A rodada dupla realizada em Interlagos no fim de semana passado ofereceu indícios para as primeiras conclusões sobre a nova geração que disputa o Campeonato Sul-Americano de Fórmula 3. Trata-se de uma observação importante para o nosso esporte a motor, pois este grupo de pilotos deverá representar o Brasil no exterior nos próximos anos. Veja a seguir uma análise do potencial das duplas de cada equipe do grid.

Cesário Fórmula – Sem dúvida o grande destaque do fim de semana foi o desempenho da equipe Cesário Fórmula, um time de tradição que já havia se mostrado muito competitivo na segunda metade do torneio de 2006. As duas vitórias conquistadas pelo mineiro Clemente Faria (Barbosa Mello/Banco Rural/Oi/RM Sistemas), que disputa o torneio pelo segundo ano consecutivo na equipe de Augusto Cesário, apenas confirmam sua condição de grande força em 2007. Aos 19 anos, Clemente é um piloto para ser observado de perto. A surpresa foi seu companheiro de equipe, o paulista Rafael Suzuki (Shutt), um estreante que chegou a ameaçar a primeira pole de Faria na rodada, e sempre andou forte enquanto esteve na pista – reforçando as pretensões da Cesário de obter novamente o título de campeã por equipes que garantiu em 2006.

Prop Car Racing – Esta equipe fez o que se esperava dela: andou forte, sendo o time que dominou os dois primeiros treinos livres oficiais se levarmos em consideração a dupla de pilotos. Fernando Galera (Budini/Mad-Croc) e o atual vice-campeão brasileiro de F-Renault, Douglas Soares (Banco BMG), formam juntos a dupla mais experiente do grid. Com o pacote técnico da Prop Car eles mostraram que brigam, pelo menos, pelo título de equipes em 2007. Galera saiu de Interlagos como vice-líder da pontuação – e isso é só o começo para ele. Já Soares tem tudo para seguir na mesma balada de seu companheiro de equipe – e, quem sabe, até mesmo liderar o time em sua campanha na América do Sul.

Bassani Racing – Este time conta com uma dupla que deve se posicionar entre as principais de 2007: o veloz estreante Denis Navarro (Navarro Distribuidora/Medley/Itupetro) e o também rápido Fábio Beretta (Avanti/Itupetro), que entra em seu segundo ano na categoria. Denis foi sempre ousado nos treinos e conquistou um pódio na etapa de abertura da rodada dupla (disputada no sábado), mostrando uma eficiência surpreendente para um novato. Resta saber como se sairá em outras pistas, já que conhece bem Interlagos. Beretta não teve no circuito paulista o brilho que todos esperam dele. Mas, reconhecidamente rápido, o piloto da cidade de Americana poderia ter conquistado um pódio na segunda etapa da rodada não fosse um toque de um concorrente o tirou da pista quando assumia o terceiro lugar. Fábio é um candidato ao título e vai vencer corridas em 2007.

Amir Nasr Racing – O time brasiliense retornou à categoria competindo na ‘casa do adversário’ e ainda por cima com a dupla que, combinada, é a mais jovem do grid: o goiano Rodolpho Santos (Neo Química/Palu Suisse/Wurth) conta 18 anos, e o brasiliense Felipe Guimarães (Webmotors), 16 – este último saído diretamente do kartismo para a F-3. Outro problema seria o fato de a equipe realizar todos os seus testes no circuito da Capital Federal. Mas nada disso, porém, foi problema, como nos mostrou o desempenho dos pilotos. Na segunda corrida, aliás, Santos pretendia abocanhar o pódio e seu carro tinha potencial para isso. Mas um problema na traseira, cuja causa ainda deve ser revelada, o jogou contra o muro em plena reta dos boxes, no que promete ser um dos acidentes mais espetaculares do ano. Apesar da juventude, a dupla da Nasr está entre as mais bem preparadas do grid. E devemos assistir a uma rotina de bons resultados de Rodolpho e Felipe ao longo de 2007, dois pilotos confiantes e determinados a vencer corridas.

Razia Sports – A equipe do piloto campeão de 2006 – o veloz Luiz Razia – passou por uma completa reformulação e anunciou uma espécie de relançamento na atual temporada. Mais do que isso, este é o único time que conta com um trio de pilotos, todos com horizontes largos o suficiente para sonhar com carreiras no exterior. São também três jovens sem experiência na F-3, e apenas Ernesto Otero e Vinícius Quadros (GVD/Altero) podem contribuir com uma vivência mais consistente em carros do tipo Fórmula, já que competiram na F-Renault. A estréia do novo time foi difícil – não se poderia esperar algo muito diferente; afinal, a equipe enfrenta times com 20 anos de carreira na categoria. Mas foi possível notar que 2007 promete bons momentos. As vitórias são uma ambição bastante possível, especialmente se Vinícius repetir o desempenho dos tempos de F-Renault. E mais: Otero e Nathan têm tudo para surpreender.

Baumer Racing – O piloto e chefe de equipe Lucílio Baumer (Funcional Card) chegou a Interlagos sem pretensões ou promessas: “Vim apenas para treinar e mostrar minha equipe. Nem vou correr”. Azar de quem acreditou. Na segunda etapa, Baumer subiu ao pódio com o terceiro lugar, deixando para trás times de maior tradição e orçamento avantajado. Auxiliada pela experiência do piloto em Interlagos com o Dallara/Ford-Berta, a façanha elevou o moral do time: “Mostramos que temos condições de brigar lá na frente. E espero que isso nos ajude a conseguir mais patrocínio”. Nós também. Baumer é o quarto colocado no Campeonato.

Bassan Motorsports – Este é um time enxuto mas cuja eficiência ficou provada já em seu ano de estréia na categoria, em 2005. No ano seguinte, foi vice-campeão com o paulista Mário Moraes – um piloto confiante que disputará agora a F-3 Inglesa em 2007. O chefe de equipe Eduardo Bassan ofereceu ao piloto Felipe Ferreira (Webmotors/CVC/Center Cargo) um pacote aparentemente semelhante ao programa que ajudou Moraes a se tornar muito competitivo no ano passado. Já em 2006, Felipe treinou e competiu bastante, especialmente na F-Renault, mas também na F-3. O resultado foi visto nesta estréia, na qual Ferreira dominou seu Dallara e brilhou no fim de semana, especialmente na segunda corrida, na qual quase terminou no pódio. A vitória é uma possibilidade real para este jovem piloto.

Dragão Motorsport – Este time conta com a experiência de Luiz “Dragão” Trinci, responsável pela área técnica da Razia Sports em 2006 e nome de longa tradição (e vários títulos) no automobilismo. Por isso foi importante o comentário feito em Interlagos pelo chefe de equipe sobre seu pupilo, William Starostik: “O William tem me surpreendido muito positivamente desde os treinos que fizemos em Campo Grande”. Dragão tem ‘bom olho’ para identificar pilotos com potencial. Ainda com poucos treinos – e, portanto, com muito a desenvolver no entendimento do piloto com a equipe –, Starostik conseguiu um quinto lugar na primeira etapa, depois de largar em sexto. Este desempenho ainda é insuficiente para definir qual será seu perfil na competição, e assim teremos que esperar as próximas etapas.

Comtec Motorsport – Esta é uma equipe estreante, mas de perfil bastante ousado. Chegando ao grid com um piloto recém-saído do kart, o chefe de equipe Ricardo Colombo arriscou. Mas sua experiência anterior – em categorias como F-Ford, F-Chevrolet e F-Truck – fez dessa ousadia uma manobra bem calculada. Ao volante de seu Dallara, ele colocou o paulista Douglas Hiar (Tx Wear/RG 518/Lion of Porche/DSN), de apenas 16 anos. Mas Hiar é um diamante que parece estar sendo bem lapidado pelo experiente Colombo: bicampeão brasileiro de kart, ele mostrou ao que veio com velocidade nos treinos e a coragem que se espera de alguém com grandes pretensões para a temporada. É importante notar que, mesmo sendo tão jovem e estreante, Douglas pontuou nas duas corridas do fim de semana. Vale a pena acompanhar esta parceria.

Castilho Motorsport – Mais uma equipe de um carro que pode surpreender. Este time é remanescente da Piquet Sports, que contou com Nelsinho Piquet e Xandinho Negrão em tempos de orçamento igualmente estelar. Mas isso não vai atrapalhar Alex Castilho, o chefe de equipe. Seu piloto, Giovanni Cerutti é outro dos vários estreantes dessa safra, e já chegou à categoria conquistando seu primeiro ponto com o oitavo lugar na segunda etapa da rodada dupla. A velocidade de Cerutti e o bom trabalho de Castilho devem render resultados interessantes. A conferir.

Lecor Sporting – O nome da Lecor vem de Leonardo Cordeiro e isso já diz tudo: é uma equipe formada em função do piloto. Mais um competidor de apenas 16 anos, Leonardo tem o perfil brigador de quem já fez sucesso no kartismo. Seu time também é estreante mas para encurtar o caminho e evitar muitas das dificuldades de quem está nesta condição conta com assessoria do engenheiro e chefe de equipe Eduardo Bassani. Justamente por isso – e também pela qualidade da mão de obra de Leonardo ao volante – a temporada 2007 deverá assistir a algumas performances notáveis deste piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *