F3000 Européia: Felipe Guimarães estréia na pole e empolga Emerson Fittipaldi

A primeira corrida de Felipe Guimarães na Europa deixou o diretor técnico do A1 GP Team Brasil, Emerson Fittipaldi, empolgado. O piloto de apenas 17 anos (nasceu em 22 de março 1991) estreou na F3000 européia neste fim-de-semana em Valença, e mesmo sem conhecer a pista e enfrentando adversários muito mais experientes, cravou a pole position e fez a volta mais rápida da corrida de sábado. Guimarães só não fez o hat trick porque perdeu a liderança da corrida para o espanhol Roldan Rodriguez (GP Racing) na segunda curva, pressionou o ‘dono da casa’, mas acabou sua corrida de estréia pela equipe TP Formula em segundo lugar. Adam Khan, piloto do Paquistão na A1 GP e companheiro de Felipe Guimarães na TP, completou o pódio.

Felipe deverá ser o piloto principal do Brasil na prova de estréia da temporada 2008/2009 da A1 GP, no dia 21 de setembro, em Mugello, Itália, quando a Copa do Mundo de automobilismo começará a correr com motores Ferrari. “Nossa idéia é ter um piloto jovem e talentoso sentado no carro do Brasil durante toda a quarta temporada da A1, e o Felipe foi o escolhido em princípio. Essa estréia na Europa prova que ele tem todas as condições colocar o Brasil entre os primeiros da A1 GP”, disse Emerson. A idéia do bicampeão da F1 (1972/74) é encontrar meios para que Felipe Guimarães fique na Europa e dispute a próxima etapa da F3000 em Mugello, no próximo dia 20.  “Ele precisa pegar mais quilometragem, e fazê-lo na pista onde a A1 GP vai estrear é perfeito”, completou.


Na corrida de domingo, largando com grid invertido, Felipe chegou em quarto lugar. Fabio Onidi (GP Racing) venceu – com Omar Lel (Durango) e Nicolas Prost (ELK) completando o pódio – e lidera o campeonato. Os brasileiros Luiz Razzia e Fabio Beretta também participaram das corridas.


“Gostei muito do meu fim-de-semana de estréia, principalmente porque competi contra adversários muito mais experientes, que conheciam a pista e o carro, como o próprio Roldan Rodriguez, que é piloto da GP2. É um carro de 450 cavalos e difícil de guiar, mas consegui me adaptar rapidamente. O plano do Tema Brasil da A1 GP e me dar quilometragem e confiança para representar bem o país na próxima temporada, e acho que começamos com o pé direito”, disse Felipe Guimarães. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *