FIA GT: Vitória no FIA GT consolida nova fase de Enrique Bernoldi

Paranaense começa a colher os frutos de sua inserção nas competições de carros de turismo, após carreira construída em cima dos monopostos.

A vitória na etapa de Paul Ricard do FIA GT, no último dia 4 de outubro, ao lado de Roberto Streit no Corvette Z06 da equipe Sangari, marcou a consolidação de uma nova fase na carreira de Enrique Bernoldi.

A conquista foi a primeira do paranaense a bordo de um carro de turismo, equipamento desconhecido para ele em competições até 2007. “Estava acostumado a andar ‘sem capota’; era um piloto especializado em monopostos. Minha meta sempre foi andar de formula, tanto que atingi o objetivo principal, que era competir na Fórmula 1, por duas temporadas”, disse Bernoldi.

Há dois anos, o crescimento da Copa Nextel Stock Car atraiu Bernoldi e o fez interromper a carreira internacional (onde correu por dois anos pela equipe Arrows e foi piloto de testes em duas temporadas da BAR) para respirar novos ares. O ano de aprendizado teve como ponto alto dois pódios, em Santa Cruz e Brasília. “Foi uma coisa totalmente diferente para mim”, destacou.

“Como não tinha espaço na época para seguir correndo lá fora, decidi aproveitar a oportunidade, que abriu uma importante porta para mim, a dos campeonatos de turismo. Mas fiquei pouco lá, pois minha meta era seguir com a carreira internacional”, continuou Bernoldi, que correu a temporada de 2008 na Indy, realizando o sonho de disputar a mítica 500 Milhas de Indianápolis.

No entanto, um acidente e uma fratura na mão durante uma das etapas da categoria norte-americana encerraram prematuramente a temporada de 2008 e trouxeram Bernoldi de volta ao Brasil. Seu retorno, em boas condições físicas, no início deste ano ao carro da RCM na Stock Car atraiu a atenção da Superleague, onde foi chamado para representar o time do Flamengo, e da equipe Sangari, que o convidou para formar parceria com Streit.

“Neste ano, posso dizer que estou fazendo tudo o que gosto. Disputo a Superleague, uma categoria de monopostos, representando uma grande equipe como o Flamengo, e consegui, junto com o Streit, a primeira vitória de uma equipe brasileira no FIA GT. De quebra, quebrei um jejum de vitórias que vinha desde a World Series, em 2004”.

“A tudo isso, somo o nascimento de meus dois filhos, Maria e Bernardo nos últimos dois anos. Posso dizer que, curiosamente, neste período, minha vida mudou completamente e aprendi muito desde 2007, como pai e piloto. Espero que esta fase continue por um bom tempo”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *