Fórmula Júnior: Campeonato teve 2ª etapa emocionante em Guaporé (RS) e mostrou que veio para ficar

Duas baterias muito disputadas, equilíbrio, presença ilustre e recuperação foram os ingredientes

A Fórmula Júnior realmente chegou para ficar – e para dar espetáculo. A segunda etapa da competição, disputada neste domingo (21) em Guaporé (RS), foi novamente emocionante e muito equilibrada, com os 14 pilotos que a compõem mostrando o que aprenderam no kartismo brasileiro.

Sem medo da maior velocidade que agora enfrentam em relação ao kart e do tamanho e potência de seus carros, os pilotos dividiram as curvas e freadas muitas vezes com três carros lado a lado na curva 1, sequência de uma longa reta, onde os Fórmula Júnior se aproximavam dos 190 km/h. E em muitas vezes as ultrapassagens eram finalizadas por fora. O resultado foram duas belas provas, que deixaram promotores, dirigentes, equipes e público presente nos boxes e nas dependências do autódromo muito satisfeitos com o equilíbrio e com os rumos que a categoria está tomando.

“Mais uma vez tivemos um belo espetáculo, assim como na primeira etapa em Tarumã”, vibra Claudio Fontoura, promotor da Fórmula Júnior juntamente com Neco Fornari. “E novamente ficamos muito satisfeitos com o que vimos na pista e fora dela. As expectativas estão sendo correspondidas, nós promotores estamos muito satisfeitos e sabemos que os pilotos, seus pais e suas equipes demonstram a mesma satisfação”, conclui Fontoura.

A primeira bateria, também a primeira de uma longa programação que incluía a segunda etapa da Fórmula 1.6, Marcas e Pilotos e Copa Fusca, foi vencida pelo pole Gabriel Robe, que mesmo largando na frente não teve descanso durante as 18 voltas da prova. Sempre pressionado, ou por Matheus Rouver ou por Victor Hugo Matzenbacker, o piloto perdeu a liderança algumas vezes, recuperou-a e recebeu a bandeirada final com 246 milésimos de segundo de vantagem sobre Matzenbacker, o segundo.

Um dos grandes destaques da prova foi Lucas Alves, que partia da segunda posição. Após uma má largada, que o fez cair para a 11ª posição, o representante de Pelotas – assim como Robe – chegou a até o 4º lugar, quando a entrada do safety-car acabou reagrupando todos os competidores. Alves errou a largada novamente, perdeu duas posições, mas mais uma vez fez linda recuperação, terminando a corrida em 3º.

A segunda prova do dia foi ainda mais disputada e foi a que mais emoções ofereceu a todos os presentes. Em suas últimas voltas tinha cinco pilotos lutando pela vitória, que acabaria ficando com Victor Hugo Matzenbacker. A bateria terminou antes do previsto, com bandeira vermelha, em razão de um acidente que envolveu três competidores, entre eles Robe, que nada sofreram.

Na soma dos tempos das duas baterias, nova vitória de Matzenbacker – que já vencera as duas provas da primeira etapa -, por apenas 35 milésimos de segundo sobre Gabriel Robe, segundo colocado apesar do acidente, já que o resultado da segunda bateria foi considerado o da volta anterior à da bandeira vermelha, conforme regulamento. Lucas Alves, a 2.048 do vencedor, foi o terceiro, seguido por Matheus Rouver e Bruna Tomaselli, que completaram o pódio.

“Foram as duas baterias mais disputadas até aqui, trocamos muitas vezes de posição e foi muito difícil conquistar esta nova vitória”, contou Matzenbacker após o pódio. “A diferença final foi muito apertada e vai ser assim sempre, durante todo o campeonato. Mantive a liderança e isso é muito importante, pois minha equipe e eu temos como principal objetivo conquistar o título”, afirmou o líder do campeonato, que compete pela equipe MC Tubarão.

Gabriel Robe, o segundo colocado, teve motivos suficientes para comemorar, apesar de ter perdido a chance de vencer a segunda bateria e, consequentemente, a etapa. “Na primeira etapa eu não marquei pontos nas duas baterias, em razão de um acidente e de um pneu furado. Então posso dizer que o final de semana foi muito positivo para minha equipe e para mim, principalmente”, avaliou Robe, que marcou 35 pontos no campeonato. “Uma pena foi o acidente em que acabei envolvido, que me tirou as chances de vencer também a segunda bateria. Mas estou contente com nossa recuperação, foi em alto estilo”, completou o representante da Irineu Racing.

Lucas Alves, que vivia situação semelhante à de seu conterrâneo Gabriel Robe, buscava recuperação na etapa, já que também tivera insucesso na estreia da Fórmula Júnior, marcando apenas 1 ponto em Tarumã. “Consegui largar melhor na segunda bateria e logo estava na luta pela ponta. Travamos um belo duelo, fui líder por algumas voltas, mas a bandeira vermelha acabou me prejudicando bastante, pois eu poderia ter obtido um resultado final ainda melhor, até mesmo a vitória”, diz Alves. “Mas estou satisfeito com a recuperação que obtivemos e muito confiante para a próxima etapa e na luta pelo título”, emendou Lucas Alves, piloto da Quadrado Racing.

A 2ª etapa da Fórmula Júnior teve a ilustre presença do preparador Luiz Trinci, o Dragão, trazido pela Pole Racing Team, dos pilotos Gustavo Bandeira e Franco Pasquale. Dono de uma vasta coleção de títulos em sua carreira, Dragão elogiou a categoria. “A Fórmula Júnior é algo que deveria ter sido feito há muito tempo no Brasil. Com ela os pilotos chegarão muito melhor preparados para competir na Europa e, além disso, tem um ambiente muito saudável, muito ‘família’, algo que é necessário manter”, aconselha.

Mais uma vez, ao final da cerimônia de pódio, a Tramontina – através da Meclo, empresa de César Lopes, ofereceu como premiação às equipes uma caixa de ferramentas completa. E quem ganhou, por sorteio, foi a Irineu Racing.

Carlos de Deus, presidente da Federação Gaúcha de Automobilismo e criador da categoria, assim como em Tarumã mostrou-se extremamente satisfeito com o que viu em Guaporé. “Foi maravilhoso, vimos disputas a que não estávamos mais acostumados. Essa ‘gurizada’ é muito arrojada, o kart continua oferecendo ótimos frutos, e vemos um futuro excelente para a Fórmula Júnior”, aposta o dirigente.

A 3ª etapa da Fórmula Júnior será disputada entre os dias 17 e 19 de maio, no Velopark, em Nova Santa Rita (RS).

Confira o resultado da 1ª bateria:
1 Gabriel Robe (RS) – 18 voltas – 26:08.951
2 Victor Hugo Matzenbacker (RS) – a .246
3 Lucas Alves (RS) – a 1.769
4 Matheus Rouver (SE) – a 1.860
5 Bruna Tomaselli (SC) – a 6.539
6 Vitor Fernandes (MG) – a 14.552
7 Rodrigo Elger (PR) – a 30.366
8 Lucas Fernandes (MG) – a 30.626
9 Gustavo Bandeira (DF) – 15 voltas
10 Bruno Lopes (PR) – 6 voltas
11 Rafael Smaniotto (PR) – 4 voltas
12 Franco Pasquale (RS) – 2 voltas
13 Victor Miranda (SP) – 1 volta
14 Lucas Balbuena (PY) – 1 volta

Confira o resultado da 2ª bateria:
1 Victor Hugo Matzenbacker (RS) – 13 voltas – 18:55.965
2 Gabriel Robe (RS) – a .281
3 Lucas Alves (RS) – a .525
4 Bruna Tomaselli (SC) – a 1.424
5 Gustavo Bandeira (DF) – a 2.347
6 Matheus Rouver (SE) – a 2.535
7 Victor Miranda (SP) – a 2.969
8 Lucas Fernandes (MG) – a 4.723
9 Lucas Balbuena (PY) – a 4.996
10 Franco Pasquale (RS) – a 7.960
11 Vitor Fernandes (MG) – 12 voltas
12 Rafael Smaniotto (PR) – 10 voltas
13 Rodrigo Elger (PR) – 4 voltas

Confira o resultado da etapa após a soma de tempos das duas baterias:
1 Victor Hugo Matzenbacker (RS) – 31 voltas – 45:05.162
2 Gabriel Robe (RS) – a .035
3 Lucas Alves (RS) – a 2.048
4 Matheus Rouver (SE) – a 4.149
5 Bruna Tomaselli (SC) – a 7.717
6 Lucas Fernandes (MG) – a 35.103
7 Vitor Fernandes (MG) – 30 voltas
8 Gustavo Bandeira (DF) – 28 voltas
9 Rodrigo Elger (PR) – 22 voltas
10 Franco Pasquale (RS) – 15 voltas
11 Rafael Smaniotto (PR) – 14 voltas
12 Victor Miranda (SP) – 14 voltas
13 Lucas Balbuena (PY) – 14 voltas
14 Bruno Lopes (PR) – 6 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *