FSão Paulo: Victor Corrêa quer retomar a liderança do campeonato

O piloto mineiro e seu chefe de equipe opinaram também sobre a atual competitividade da temporada.

A terceira etapa da Fórmula São Paulo 2007, que será realizada no próximo final de semana (08/4), no Autódromo de Interlagos (SP), chega embalada em uma grande disputa entre jovens talentos, muitos deles com chances matemáticas de assumirem a liderança da classificação ainda nesta rodada. Primeiro vencedor do ano, o mineiro Victor Corrêa (Unifenas/ Flash Power/ Alpie Competições) também planeja reverter a situação o quanto antes. “A Fórmula São Paulo está mais equilibrada do que nunca, e será muito importante conseguir um bom resultado para tentar voltar à liderança”, afirma o piloto, que soma 23 pontos no campeonato, ocupando o terceiro lugar na classificação geral.

Com tamanha competitividade na atual temporada, Victor Corrêa prefere não fazer apostas em relação aos rivais. “É muito cedo para avaliar favoritos, pois o grid aumentou e os carros são todos iguais, o que deixa tudo indefinido”, avaliou o jovem de Alfenas (MG). Victor aproveitou ainda para destacar a importância da regularidade em um campeonato como a Fórmula São Paulo, e aprovou o sistema de pontuação utilizado. “Nossa categoria, assim como as demais do Campeonato Paulista, possuem regras de descartes dos piores resultados, o que premia a regularidade entre os lugares mais altos do pódio, e ajuda em caso de quebras ou outros imprevistos. Na última prova, o motor do meu carro estava falhando e cheguei em sétimo, mas sabemos que este resultado poderá ser um dos descartados ao final do ano, o que traz mais tranqüilidade para desenvolvermos nossa meta”, concluiu o representante da Unifenas/ Flash Power/ Alpie Competições.

O chefe da equipe Alpie, Aldo Piedade Jr., também fez sua avaliação sobre a atual situação da categoria. “Desde a formação da Fórmula São Paulo, este é o melhor momento dela. A quantidade de carros é a maior dos últimos anos, e diversos garotos têm saído do kart com enorme potencial, o que ajudou também a despertar a divulgação em torno dela e contribuirá na formação de futuros pilotos internacionais”, concluiu.

Criada há cinco anos, a F-São Paulo era vista como uma alternativa de baixo custo em relação à Fórmula Renault. Com a ausência da categoria apoiada pela montadora francesa no cenário nacional neste ano, a competição paulista passou a ser a única categoria brasileira de monopostos em atividade no momento, e preparatória dos pilotos que desejam prosseguir para as modalidades internacionais, como a Fórmula 3, e por isso está reunindo pilotos de sete estados diferentes no total.

Na Fórmula São Paulo todos os monopostos utilizam chassi Techspeed equipados com motor AP 1.8, com 136 cavalos de potência, que chegam a 230 km/h. O câmbio utilizado é o Hewland, o mesmo usado na Fórmula 3 Sul-Americana. Para deixar a disputa com maior igualdade, há apenas um preparador de motores para todos os competidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *