FTruck: Pista desconhecida não assusta novatos

As obras para o autódromo de Cascavel estão em ritmo acelerado para a sexta etapa da Fórmula Truck. Nessa disputa alguns pilotos levam vantagem por correrem a etapa de 2004, última disputada no circuito. Mas um quarto do grid que nunca competiu com caminhões em Cascavel. São seis dos atuais 24 pilotos da categoria. Diversos deles já correram na pista paranaense em outras categorias, mas na Fórmula Truck tudo é diferente.

Na atual temporada foram três os estreantes: Adalberto Jardim, que competiu durante anos na Stock Car; Régis Boessio, que corria de Autocross e Urubatan Helou Jr., que corria de protótipos. Destes três o que mais provas disputou foi Régis Boessio que correu todas etapas da temporada. Urubatan e Jardim estrearam em maio, em São Paulo. Os outros três pilotos que ainda não competiram em Cascavel estrearam na temporada 2005. Vinicius Ramires estreou na etapa de São Paulo, mas nem largou para aquela prova. João Maistro estreou no início da temporada assim como José Maria Reis.

A segunda etapa deste ano também foi realizada em uma pista inédita, o reformado Autódromo Virgílio Távora, em Fortaleza. Mesmo desconhecendo o traçado o goiano José Maria Reis largou na quinta colocação e após uma escapada na brita, voltou em 17º e terminou a prova em sétimo. “Quando eu competia na Fórmula 200, os traçados eram sempre desconhecidos. Nunca sabíamos onde seria a competição e muito menos para qual lado tinha que virar. Só depois de sentar no carro e dar umas voltas no traçado”, explicou José Maria sobre a competição que corria em circuitos de rua sempre inéditos. “Muitas vezes de uma volta para a outra tinha mudanças porque não tinha grade de proteção e as pessoas invadiam a pista. Numa etapa um carrinho de sorvete tombou dentro da pista e então tínhamos um novo traçado, desviando do sorveteiro” explicou o irônico Zé Maria.

O circuito cascavelense é famoso por sua desafiadora Curva do Bacião, uma das mais velozes do Brasil. Antes ainda de se tornar a Fórmula Truck, uma competição de caminhões organizada pela mesma equipe da atual categoria, em 1987 vitimou um de seus pilotos. “Vários pilotos já me disseram sobre o perigo da tal curva. Todo piloto busca o limite e o desafio e andar mais rápido a cada volta. Não acredito que a fama de desafiadora vai me fazer tirar o pé do acelerador na hora de contorná-la”, respondeu José Maria quando perguntado sobre a Curva do Bacião.

A etapa de Cascavel acontece no dia 17 de setembro. A transmissão da prova é ao vivo pela Rede Bandeirantes com previsão para as 14h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *