GP2 Series: FIA libera volta de Xandinho Negrão em Mônaco

Aprovado na avaliação realizada nesta quarta-feira pelo médico Gary Hartenstein, Xandinho Negrão (Medley) foi liberado pela Federação Internacional de Automobilismo para disputar a quinta etapa da Fórmula GP2 em Mônaco.


O piloto paulista está praticamente recuperado do acidente na primeira prova da rodada dupla do GP da Espanha, há pouco menos de duas semanas, e volta ao cockpit do carro da Minardi Piquet Sports nos treinos de amanhã nas ruas de Montecarlo.

“Minhas costas ainda estão um pouco doloridas, apesar de eu ter procurado repousar ao máximo. Só bati uma bolinha leve, mas preferi nem participar do jogo dos pilotos da Fórmula 1 em Mônaco para não correr risco. Sou o mais interessado na minha segurança e tenho certeza que poderei correr normalmente”, afirmou Xandinho, que na sexta-feira passada já havia passado bem pelo treino com um Fórmula 3000 em Silverstone. “Só me senti um pouco cansado porque dei mais de 50 voltas numa variante quase tão longa quanto o circuito da Fórmula 1”, justificou.

Xandinho acidentou-se no “esse” que sucede à reta dos boxes de Barcelona. Logo depois da largada, ficou sem espaço por causa de uma múltipla batida e acertou com violência a traseira do carro do inglês Mike Conway. Apenas com as rodas traseiras grudadas ao solo, Xandinho sofreu o forte impacto do choque da parte frontal contra o chão. Depois de atendimento inicial no ambulatório do autódromo, os médicos recomendaram sua remoção para um hospital das proximidades, onde o exame de ressonância descartou a possibilidade de uma pequena fratura na região dorsal. Como permanecia queixando-se de dores e sem se alimentar, Xandinho foi mantido internado do sábado para o domingo e ficou fora da segunda prova.

O GP de Mônaco é a única rodada simples do calendário, em função das características urbanas do circuito. Por isso, excepcionalmente, a categoria ganhou uma sessão de treinos extras de 30 minutos na quinta-feira. A segunda, com a mesma duração, será na sexta, antes do qualifying. Sábado, a prova terá 45 voltas e a obrigatoriedade da troca de dois pneus. Xandinho torce para que a provável loteria da tomada classificatória possa beneficiá-lo. “O maior problema em Montecarlo é conseguir fazer uma volta limpa com os pneus novos, sem ser atrapalhado por um carro mais lento nem pegar uma bandeira amarela que o obrigue a levantar os pés. A Fórmula GP2 é uma categoria que permite ultrapassagens, mas Mônaco é outra história”, observou Xandinho, que aproveitou o dia para fazer o reconhecimento do traçado ao lado do companheiro de equipe Roldán Rodríguez, do engenheiro Roberto Costa e do diretor-técnico Felipe Vargas.

A Fórmula GP2 usará nesta semana os pneus supermacios produzidos pela Bridgestone levando em conta as particularidades do asfalto monegasco. Xandinho, no entanto, não crê que a superfície pouco aderente torne menos dramático o habitualmente elevado consumo dos pneus traseiros. “Uma coisa vai acabar compensando a outra. Como em todas as etapas, será fundamental poupar os pneus no começo da corrida e escolher o momento certo de entrar nos boxes para a troca”, avisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *