GP2 Series: Lucas vence e assume liderança na Turquia

Fazendo outra corrida inteligente, Di Grassi administra desgaste dos pneus e termina em primeiro no circuito de Istambul.

Depois de largar da sexta posição, o brasileiro Lucas Di Grassi conquistou a vitória na 14ª etapa do Campeonato Mundial de Fórmula GP2, disputada em Istambul, na Turquia. O resultado colocou o paulista de 23 anos na liderança do difícil torneio, que é a última escala dos pilotos profissionais que tentam ingressar na Fórmula 1. A dianteira da competição foi obtida de forma dramática, uma vez que desde o começo do ano Lucas vem sofrendo com uma pesada desvantagem técnica de seu carro em relação ao bólido do alemão Timo Glock, o ex-piloto de F-1 que compete pela melhor equipe de 2007, a iSport International. Glock liderava a tabela desde a primeira das 14 etapas disputadas, perdendo a ponta justamente para o piloto mais regular e que vem disputando corridas com uma estratégia inteligente e visivelmente voltada para a briga pelo título. Di Grassi soma agora 64 pontos, quatro a mais que Glock, o quarto colocado na corrida.

Em Istambul neste sábado, Di Grassi fez o que prometeu depois das tomadas de tempo da sexta-feira: cuidou dos pneus a fim de ter um bom carro no final da corrida. Saindo da sexta posição no grid, com Glock largando em segundo, Lucas calculou que o forte calor no asfalto turco (acima de 50 graus) e a longa corrida de 34 voltas (ou 181,5 quilômetros em alta velocidade) cobrariam seu preço dos competidores. Foi assim que já a partir da 20ª volta vários carros começaram a apresentar sintomas de falta de aderência. “Ter pneus mais íntegros foi importante para manter a distância do Pantano e do Carroll, dois pilotos potencialmente perigosos na briga pela vitória”, disse Lucas. “Mas, apesar de eu ter tentado estar no controle da situação desde o início, parece que essa foi a corrida mais longa da minha vida: a bandeirada final não chegava nunca! As últimas voltas foram especialmente ‘longas’, eternas. Mas acho que não poderia ser de outro jeito, pois este ano eu tive três vitórias que me foram tiradas da mão por motivos fora do meu controle. Então, é lógico que eu queria muito vencer, mais do que qualquer outro piloto desse grid, eu aposto”.

Um acidente na largada obrigou a entrada do safety car, quando quase todos os pilotos resolveram parar e já realizar a troca obrigatória de pneus. Os únicos a optar por uma estratégia diferente foram Glock, o brasileiro Xandinho Negrão e o espanhol Roldán Rodríguez, que por isso ocuparam as três primeiras posições até suas respectivas paradas. Glock foi quem esticou mais sua permanência na pista, aproveitando ao máximo a pista livre à frente. O alemão parou apenas na 29ª volta, quando todos já sabiam que a liderança seria assumida definitivamente por Lucas – com pneus mais íntegros, o brasileiro vinha administrando a distância dos carros que vinham atrás, pilotados pelos rápidos e experientes Giorgio Pantano Adam Carroll.

A GP2 disputa a prova complementar da rodada dupla a partir das 5h da manhã (horário de Brasília). Nesta prova, os oito primeiros colocados terão sua posição no grid invertida, como manda o regulamento. Lucas, então, sairá em oitavo, com Glock partindo em quinto. “Esta será uma prova bem diferente da que disputamos hoje”, avaliou Lucas. “Ela é mais curta, com 23 voltas (123 quilômetros) e, assim, os carros estarão mais leves por levarem menos combustível e o consumo de pneus será menos crítico. Dessa vez, todos devem pilotar de forma muito agressiva, pensando menos no desgaste do carro. De qualquer forma, será importante tentar sair daqui na liderança da classificação. Seria mesmo uma recompensa muito grande para o trabalho que eu e a nossa equipe (ART Grand Prix) temos feito para brigar pelo título”.

Resultado da 14ª etapa:

1 – Lucas di Grassi (Brasil), ART GP, 34 voltas em 57min11s277
2 – Giorgio Pantano (Itália), Campos GP, a 1s371
3 – Adam Carroll (Irlanda), FMS, a 5s830
4 – Timo Glock (Alemanha), iSport, a 6s163
5 – Borja García (Espanha), Durango, a 10s283
6 – Kazuki Nakajima (Japão), DAMS, a 10s774
7 – Xandinho Negrão (Brasil), Minardi Piquet Sports, a 14s695
8 – Karun Chandhok (Índia), Durango, a 19s756
9 – Ho-Pin Tung (China), BCN, a 20s629
10 – Bruno Senna (Brasil), Arden, a 22s944

Classificação do campeonato:

1) Lucas di Grassi, 64
2) Timo Glock, 60
3) Luca Filippi, 37
4) Giorgio Pantano e Kazuki Nakajima, 36
6) Adam Carroll, 30
7) Javier Villa, 28
8) Andreas Zuber, 27
9) Pastor Maldonado, 25
10) Bruno Senna, 24
11) Borja Garcia, 18
12) Roldán Rodríguez, 14
13) Mike Conway, 13
14) Adrian Zaugg, 10
15) Nicolas Lapierre, Vitaly Petrov e Kohei Hirate, 9
17) Sérgio Jiménez e Sébastien Buemi, 4
19) Michael Aleshin e Xandy Negrão, 3
21) Karum Chandhok, 2
22) Antonio Pizzonia e Michael Ammermuller, 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *