GP2 Series: Pizzonia pilotará por equipe de Fisichella em 2007

O brasileiro Antonio Pizzonia vai participar da temporada 2007 da GP2 Séries pela equipe Fisichella Motor Sport International (FMS). A apresentação formal da formação do time será feita nesta quinta-feira (07/12), na abertura do Motor Show de Bolonha, na Itália.


“Quero voltar a brigar por vitórias e títulos. Estou sentindo falta das disputas e da adrenalina nas competições onde o piloto pode fazer a diferença”, planeja o amazonense, que foi campeão no kart, na Fórmula Vauxhall Junior, Fórmula Renault, Fórmula 3, venceu corridas na Fórmula 3000, liderou prova na Fórmula Mundial (Champ Car) e na Fórmula 1.

 


Co-proprietário da equipe FMS e piloto da Renault na Fórmula 1, Giancarlo Fisichella comenta a contratação. “Nós queremos vencer o campeonato da GP2 em 2007 e contratamos Pizzonia, pois acreditamos que ele pode fazer isso. Antonio foi extremamente rápido com nossos carros durante os testes de inverno, fazendo a volta em tempo recorde da GP2 em Jerez e confirmando o que esperávamos de um piloto tão experiente”, ressalta o italiano.


 


A justificativa de Antonio Pizzonia em correr na GP2 após participar de quatro etapas na F-Mundial (ChampCar) e testar um carro da Stock Car (em Curitiba) este ano, é seu objetivo de voltar para a categoria máxima do automobilismo mundial, onde atuou pelas equipes Jaguar e Williams. “Minha intenção é retornar o mais cedo possível para a Fórmula 1. Sou jovem ainda e sei que tenho muita coisa para mostrar e realizar na Fórmula 1”, afirma o piloto de 26 anos de idade, que correu pela Jaguar em parte da temporada de 2003 e integrou a Williams em 2004 e 2005, participando de 16 Gps.


 


Depois de boas atuações na Fórmula Mundial a bordo do Lola/Cosworth da modesta Rocketsports Racing, que acabaram gerando um grande interesse da categoria pela sua transferência definitiva para os Estados Unidos, Pizzonia acabou optando por ir competir na próxima temporada nas preliminares da Fórmula 1. “Na Champ Car eu teria que construir uma carreira na América e seria difícil voltar para a Europa em curto prazo. Foi uma decisão difícil, pois eu tinha excelentes propostas na categoria, que promete muito em 2007, com carro novo e várias novidades. No entanto, tenho certeza que foi a melhor decisão para os meus propósitos imediatos”, assegura o manauara, que chegou a liderar o GP do Canadá.


 


Pizzonia não esconde a alegria de receber a oportunidade de competir pela equipe de Giancarlo Fisichella, piloto da Fórmula 1 pela equipe Renault, que tem como sócios o ex-dono de equipe de F1 Paolo Coloni e Enrico Zanarini. “Estou super feliz com o convite do Giancarlo (Fisichella), e extremamente contente por integrar uma equipe vencedora”. A FMS é um dos mais competitivos times na categoria, terminando o ano de 2006 na quinta colocação, com três vitórias, sendo duas na rodada de encerramento da temporada. “A FMS é uma equipe que tem excelente retrospecto na GP2. É bem estruturada tecnicamente, tem uma sólida base econômica e financeira, e seus componentes tem muita experiência. Hoje os times da GP2 estão muito equilibrados e, por isso, você tem que analisar tudo para ter uma vantagem competitiva”, fundamenta Antonio. O outro piloto da FMS será o turco Jason Tahinci e o patrocínio máster da equipe será o Petrol Ofisi.


 


Participando dos testes de inverno da GP2, Antonio Pizzonia foi um dos pilotos mais consistentes. Ele fez o melhor tempo em um dos dias em Paul Ricard, na França, saiu com o melhor tempo entre todos em Jerez de la Frontera, na Espanha, e no último final de semana conseguiu a terceira melhor marca em Valência, também na Espanha, em que os três primeiros ficaram praticamente empatados, com apenas quatro centésimos de segundo de diferença. “Fiquei muito lisonjeado com a confiança da equipe e aprendemos bastante juntos. O resultado foi que fomos rápidos em todas as pistas, em qualquer situação, o que fortalece o nosso objetivo de vencer corridas e brigar pelo título da GP2”, confia.


 


A GP2 Series tem sido uma das categorias mais emocionantes e competitivas do cenário internacional. Ganhou destaque por ser muito mais moderna e rápida do que a sua antecessora Fórmula 3000 e revelou jovens talentos para a Fórmula 1, como o alemão Nico Rosberg, o finlandês Heikki Kovalainen, o norte-americano Scott Speed, o inglês Lewis Hamilton e o brasileiro Nelson Ângelo Piquet. Também recebeu pilotos que já participaram da categoria máxima, como é o caso do alemão Timo Glock, e dos italianos Giorgio Pantano e Gianmaria Bruni. Em 2007 deve receber vários outros campeões, como o inglês Mike Conway (F-3 Inglesa e vencedor em Macau), o argentino Ricardo Risatti (F-3 Espanhola), o escocês Paul di Resta (F-3 Européia), o alemão Adrian Sutil (F-3 Japonesa), o sueco Alx Danielsson (World Series) e os brasileiros Xandi Negrão, Alberto Valério e Luiz Razia (F-3 Sulamericana), além de Lucas di Grassi e Bruno Senna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *