GP2: Xandinho Negrão questiona eficácia de mudanças técnicas

Os organizadores da Fórmula GP2, principal categoria de acesso à Fórmula 1, anunciaram nesta terça-feira uma série de modificações para 2006, com o objetivo de aumentar a competitividade em seu segundo ano de existência.


Um dos três brasileiros com presença garantida no campeonato, Xandinho Negrão (Medley) põe em dúvida a eficácia das novidades. “O carro ficará mais rápido, talvez de dois a três segundos, mas não creio que tenha influência nas disputas”, afirma.

O Dallara-Renault foi consideravelmente alterado em relação ao carro utilizado na temporada passada. Em relação à aerodinâmica, a asa traseira passou a ser biplana, com duas lâminas, ao contrário das três de 2005. Porém, a configuração antiga poderá ser usada em Mônaco, circuito urbano que exige acerto com o máximo de downforce. “Os três planos manteriam o carro mais parecido com o Fórmula 1, obrigando as equipes a pensar mais na escolha das regulagens. A idéia é tornar o carro mais nervoso e difícil de pilotar, mas não acho que isso tenha algo a ver com a competitividade. Por mim, deixaria como estava”, diz Xandinho.

Na parte mecânica, a suspensão será reforçada, como medida de segurança. Os freios, desenvolvidos exclusivamente para a Fórmula GP2 pela Brembo, ganharam novos discos e pinças com seis pistões. O motor Renault-Mecachrome V8 preparado pela Mader recebeu atualização eletrônica, além de novo duto de ar, e ganhou 500 giros, subindo de 9.500 para 10.000.

No entanto, a principal novidade é a introdução de pneus slicks da Bridgestone em substituição aos modelos com ranhuras, antecipando a mudança que será feita na Fórmula 1 ao final da temporada de 2007.

No que diz respeito ao regulamento desportivo, o autor da melhor volta receberá apenas um ponto de bonificação – no ano passado eram dois. No entanto, valerá a marca registrada antes da parada obrigatória nos boxes para troca de pneus.

O campeonato será aberto dia 8 de abril em Valência (Espanha), no único evento não realizado em conjunto com a Fórmula 1. Serão 23 provas em 12 etapas, todas na Europa. Mônaco será a única no formato de rodada simples.

Antes, as equipes enfrentarão quatro sessões de testes coletivos, o primeiro deles dias 22 e 23 de fevereiro em Paul Ricard (França). Xandinho viajará para a Inglaterra no dia 8. Ele mora em Oxford e, além de arrumar a casa, acompanhará os trabalhos iniciais de montagem dos carros da Piquet Sports em Silverstone. “Este é um momento importante. A base de todo o ano será definida nessa época. É bom estar por perto, acompanhando o trabalho”, explica. Os outros brasileiros na Fórmula GP2 serão Nelsinho Piquet, seu companheiro de equipe, e o estreante Lucas di Grassi, que ainda não divulgou onde correrá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *