GT Brasil: Com ultrapassagem no final, Leonardo Burti e Valter Pinheiro levam a melhor em Jacarepagu

Dupla superou Caê Coelho e João Gonçalves, que largaram na pole position, nas últimas voltas no Rio de Janeiro

Pode até ter sido um domínio do modelo Ginetta G50, mas foi daqueles bonitos de ver, com uma excelente disputa pela vitória entre Valter Pinheiro e Leonardo Burti, que chegaram em primeiro na estreia desta formação, e os segundos colocados, Caê Coelho e João Gonçalves. Líderes do campeonato, Cristiano Federico e Caio Lara conquistaram mais um bom resultado, em terceiro, ampliando a vantagem na disputa pelo título de 2011.

Vencendo pela primeira vez na categoria e ainda por cima correndo em casa, Valter Pinheiro comemorou muito o resultado. “Eu não esperava esta vitória, estou emocionado com o resultado. Este é meu primeiro ano no automobilismo e já conquistei uma vitória. Devo isso ao Leonardo Burti, que me deu todas as dicas, tanto sobre o carro quanto a pista, o que foi fundamental para este resultado tão especial ainda mais no Rio de Janeiro”.

Valter Pinheiro explica o trabalho que foi feito para conquistar o resultado. “Desde que o Burti entrou no time, trabalhamos muito duro no carro, já que ele trouxe não só sua velocidade como o conhecimento técnico que nós não tínhamos. O Ginetta de hoje é completamente diferente do de antes, muito melhor, já estou mais rápido também graças a ele e só temos o que melhorar de agora em diante. Dei o meu melhor e conseguimos vencer”.

Fora do primeiro lugar do pódio desde a sétima etapa de 2010, em Curitiba, quando conquistou duas vitórias ao lado de Carlos Burza, Leo Burti agradeceu o trabalho desenvolvido na antiga equipe e comemorou a nova conquista. “Desde que eu vim para o Rio de Janeiro, sabia que teria um carro muito rápido, porque esta pista favorece o Ginetta. Já estivemos em pistas que favoreciam outros, mas isso varia muito entre cada circuito”.

“Sou favorável a equalização, mas acho que a Comissão GT precisa estar atenta a todos os carros, não só ao Ginetta, que nesta etapa carregou peso extra como forma de equilíbrio. De qualquer forma, quero agradecer ao pessoal da Crystal Racing Team e agora estou em uma casa nova, um caminho novo, e foi muito bom. Hoje, procurei salvar equipamento, passei o Hellmeister e o Greco e o Valter fez o final. Foi um grande trabalho de evolução desde quinta-feira e estou muito feliz”, disse Leonardo Burti.

Mantendo a evolução apresentada desde a etapa passada, João Gonçalves, parceiro de Caê Coelho, comemorou o ritmo apresentado pela dupla. “Foi muito bom para nós, no primeiro ano, conquistar um segundo lugar. Nossa evolução está boa, quinta-feira o carro não estava tão rápido, mas fomos trabalhando e melhorando em todos os aspectos. Andamos bem, o Caê foi muito limpo e rápido e conquistamos este resultado maravilhoso”.

Caê Coelho também comemorou o fato de sair “cheirando champanhe de alegria”, como disse após a prova. “Quando todos estavam gritando no rádio, nos seis minutos finais – que demoraram 60 na minha cabeça – cruzei a linha de chegada pedi desculpas pelo resultado. Estava na frente, acabei escapando, e uma grande manobra do Valter me deixou para trás. Mas só tenho que agradecer ao João por sempre me ajudar e acho que foi bem legal”.

“Jamais pensei que estaria nesta posição tão cedo no ano, minha equipe me ajuda muito e só posso agradecer por isso”, fala Caê Coelho. Líder do campeonato ao lado de Cristiano Federico, Caio Lara aprovou o terceiro lugar pensando na disputa pelo título. “Nossa meta é sempre pontuar, estamos muito equilibrados e fico triste quando não estou no pódio. Buscamos sempre a vitória, mas a maior de todas será no final do ano, no título que queremos”.

Já Cristiano Federico parabenizou a evolução dos pilotos da categoria. “Nós sabíamos que os Ginetta estariam melhores aqui no Rio de Janeiro e com a nova dupla formada pelo Leo e Valter, que vem evoluindo bastante, como o Caê também, sabíamos que seria difícil. Fico muito feliz por vê-los conquistando estes resultados importantes, mas foi um terceiro lugar com sabor de vitória para nós. Temos que pensar sempre no título e tivemos uma boa prova neste sentido”, encerra Cristiano Federico.

O RESULTADO FINAL EM JACAREPAGUÁ

1º) 6 – V.Pinheiro/L.Burti (GI* , SP/SP)
2º) 55 – J.Gonçalves/C.Coelho (GI* , SP/SP)
3º) 72 – C.Federico/C.Lara (AM* , SP/SP)
4º) 51 – Otavio Mesquita (FC* , SP)
5º) 21 – V.Rossete/F.Greco (MA* , SP)
6º) 57 – S.Laganá/A.Hellmeister (FC* , SP/SP)
7º) 82 – M.Melo/W.Freire (GI* , SP/SP)
8º) 73 – O.Ferderico/M.Losasso (MA* , SP/SP)
9º) 17 – M.Santanna/C.Pons (FC* , SP)

CLASSIFICAÇÃO EXTRA-OFICIAL DA ITAIPAVA GT4 (APÓS 13 DE 20 CORRIDAS)

1 Caio Lara/Cristiano Federico (Ferrari Challenge), 192 pontos
2 Valter Rossete/Fábio Greco (Maserati Gran Turismo), 182
3 Sergio Laganá/Alan Hellmeister (Ferrari Challenge), 167
4 Otávio Mesquita (Ferrari Challenge), 146
5 Marçal Melo/William Freire (Ginetta G50), 130
6 Marcello Sant’Anna/Christian Pons (Ferrari Challenge), 84
7 Valter Pinheiro (Ginetta G50), 79
7 Caê Coelho/João Gonçalves (Ginetta G50), 79
9 Leonardo Burti (Ginetta G50), 70
10 Carlos Burza (Ginetta G50), 50
11 Marcelo Losasso (Aston Martin), 49
12 Oswaldo Federico (Aston Martin), 39
13 André Posses (Porsche), 38
14 Eduardo S. Ramos/Leandro Almeida (Aston Martin), 29
15 João Marcelo/Leonardo Medrado (Maserati Trofeo), 12
16 João Paulo Mauro/Eduardo Furlanetto (Maserati Trofeo), 11
17 Rodrigo Navarro (Aston Martin), 10
18 Valter Patrocínio/Demétrio Mendes (Maserati Trofeo), 8
19 Fúlvio Marote/Fernando Fortes (Maserati Trofeo), 7
20 Felipe Roso/Vinicius Roso (Maserati Trofeo), 3
21 Samuel Neto/Antonio De Luca (Maserati Trofeo), 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *