GT3 Brasil: campeão diz que Emerson vai encontrar “teia de aranha”

Andreas Mattheis admite que também ainda sente os efeitos da longa inatividade.

“Feliz e honrado” com a estréia de Emerson Fittipaldi na GT3 Brasil, um dos atuais campeões da categoria de turismo acredita que o bicampeão mundial de Fórmula 1 encontrará “teias de aranha e ferrugem” em seu retorno às pistas neste final de semana em Interlagos. “Foi assim comigo também. Mas é claro que o Emerson tem talento de sobra para despertar os neurônios rapidamente”, brinca Andreas Mattheis (Medley), que conquistou o campeonato de 2007 em parceria com Xandy Negrão.


A poucas semanas de completar 54 anos, Andreas é oito mais novo que Emerson. Os dois jamais competiram juntos, mas foi por pouco. “Emerson andou de Fiat no Campeonato Brasileiro de Marcas e Pilotos de 1983 e 1984. Eu corri de Volkswagen a partir da temporada seguinte”, lembrou Andreas, que havia pendurado o capacete e as sapatilhas com o título brasileiro de 1993, até aceitar o convite de Xandy Negrão para ser seu companheiro de equipe na GT3.


“A chegada do Emerson será benéfica para a categoria, porque vai atrair muita atenção, da mesma forma que o Nelson Piquet a partir da próxima etapa em Brasília. O naipe de pilotos ficou muito mais forte. Afinal, além de brilhar na Fórmula 1, o Emerson foi campeão da Fórmula Indy e venceu duas vezes as 500 Milhas de Indianápolis. Apesar de tudo, vai levar algum tempo até recuperar a forma. Eu mesmo, que já retornei há um ano, todo final de semana de corrida tenho de dar um tapa no tico e no teco para eles trabalharem direito”, continua Andreas, que – como diretor-técnico – vem de três vitórias consecutivas na Stock Car.


Os irmãos Fittipaldi estrearão o Porsche 997 GT3 S que chamou a atenção nos testes de pré-temporada na Europa. Andreas, no entanto, diz que o Dodge Viper Coupé da Equipe Medley poderá repetir o vitorioso desempenho da rodada dupla final de 2007 em Interlagos. “Os times que usam o Dodge Viper na Europa não são dos mais fortes. Por enquanto, é apenas uma suposição, mas acho que não vamos levar pau do Porsche. Nosso principal adversário deverá continuar sendo o Ford GT do Ricardo Rosset e do Walter Salles. Pena que o nosso não tenha chegado ainda, mas é quase certo que estará disponível em Brasília.”


O primeiro confronto dos atuais campeões com um dos clãs mais ilustres da história do automobilismo brasileiro está marcado para sexta-feira, quando serão realizadas duas sessões de treinos livres – das 11h às 11h45 e das 13h40 às 14h25. Sábado, os carros voltam à pista para um último ensaio – das 8h às 8h30 – antes das tomadas classificatórias para a 3ª e 4ª etapas. A primeira corrida será disputada ainda no período da tarde, a partir das 14h10. Domingo, a segunda prova começará às 11 horas – as duas com duração de uma hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *