GT3 Brasil: Categoria de supercarros volta ao Autódromo de Curitiba

Ferrari F430 e outros carrões disputam a sétima rodada dupla da GT3 Brasil na capital paranaense.

Após a histórica e dramática vitória da Ferrari no GP Brasil de Fórmula 1, disputado no início do mês em Interlagos (SP), chegou a vez de o aficionado por automobilismo da região metropolitana de Curitiba acompanhar de perto os carrões da montadora do ‘Cavalinho Rampante’. A bordo da Ferrari F430 da equipe Pósitron/Greco, os pilotos Renato Cattalini e Antonio Jorge Neto vão acelerar forte neste fim de semana (15 e 16/11) no Autódromo Internacional de Curitiba, durante a 13ª e 14ª etapa da GT3 Brasil. “Apesar de eu não ser um especialista na pista e ter corrido poucas vezes aqui, é sempre bom estar em casa”, afirma o paranaense Cattalini, que mora na capital.


 


Mesmo com a “vantagem” de ter um piloto da casa, a equipe não espera encontrar facilidades em Curitiba. “Não vai ser nada fácil andar na frente, contra carros que têm superioridade sobre o nosso, principalmente numa pista com grandes retas como essa”, afirma Antonio Jorge Neto. Além de as características do circuito não se adequarem à Ferrari F430, o piloto ainda espera por uma melhor equalização de todos os carros da categoria. “Continuamos aguardando por medidas para equiparar o desempenho”, conta.


 


A Pósitron/Greco realizou uma sessão de treinos na última quarta-feira, em Curitiba. Por causa da forte chuva durante todo o tempo na pista, não foi possível colher muitas informações. “Não conseguimos nada de muito concreto, mas se o tempo continuar assim, acertamos o carro para a pista molhada”, conta o chefe de equipe Fábio Greco. Ele está esperançoso em conseguir um bom resultado. “O carro está todo novo. Acho que é possível voltar a subir no pódio”, explica.


 


Uma novidade para a sétima rodada dupla da competição é a volta da primeira corrida do fim de semana aos sábados. Nas duas últimas rodadas, as duas corridas aconteceram no domingo. “Para nós é bom, pois antes as corridas eram muito próximas uma da outra. Se tiver algum problema com o carro, teremos mais tempo para consertar”, comenta Greco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *