GT3 Brasil: Categoria será primeira de âmbito nacional a neutralizar emissão de CO2

Competição receberá certificação do Projeto Oxigênio, iniciativa que visa replantar e perpetuar áreas florestais em todo o País.

Melhor maneira de promover a saúde, o esporte está agora voltado para a proteção do meio ambiente e a busca da sustentabilidade. A partir da sétima rodada dupla de 2008, nos dias 15 e 16 de novembro, o Telefônica Speedy GT3 Brasil inicia um projeto para se tornar a primeira categoria automobilística de pista de âmbito nacional a neutralizar suas emissões de CO2. A ser realizada em Curitiba, a rodada contará com a cerimônia de plantio de um exemplar de tabebuia, conhecido popularmente como ipê ou pau-d’arco. A árvore será plantada nas dependências do autódromo local, em um evento que terá a participação do prefeito Beto Richa e dos pilotos da categoria. A cerimônia acontecerá na próxima sexta-feira (14), a partir das 14h30. A iniciativa será implantada pelo Projeto Oxigênio, entidade voltada para a neutralização de CO2 em indústrias e empresas.


“Curitiba foi escolhida por ser uma cidade-modelo que já é vista pelas demais metrópoles brasileiras como um parâmetro de qualidade de vida – e, assim, nossa iniciativa se insere em um contexto relativamente mais evoluído em termos de administração ambiental no Brasil”, explicou Fabio Ebrahim, representante dos pilotos da categoria dos supercarros, e mentor da iniciativa. “A cerimônia em Curitiba e a neutralização de CO2 feita para aquele evento é o primeiro passo de um projeto que prevê que a neutralização em todas as etapas de 2009. Plantaremos milhares de árvores em áreas pré-selecionadas pelo Projeto Oxigênio. Assim como Curitiba, nós da GT3 também queremos de ser vistos como um exemplo, especialmente em algo tão importante quanto os temas preservação ambiental, qualidade de vida e, conseqüentemente, saúde da população”, continua Fábio Ebrahim.


A iniciativa conta com o apoio da Valorem Florestal, especializada no manejo e comercialização de madeira retirada de áreas próprias e reflorestadas pela própria empresa. As árvores a serem plantadas pelo Projeto Oxigênio serão de diversas variedades nativas, contribuindo para a manutenção da mata nos locais onde o plantio será realizado. “Para chegar ao cálculo de quantas mudas serão adquiridas e plantadas, utilizamos os mesmos sistemas empregados para neutralizar as atividades de uma indústria, por exemplo”, explica Evandro Razzoto, diretor-executivo do Projeto Oxigênio. “Este cálculo leva em conta desde o transporte dos profissionais da categoria, vindos de diversas partes do País, até o consumo de combustível dos carros na pista. É uma equação complexa, mas como resultado ela nos indicará quantas mudas serão utilizadas nesta operação. Mais do que apenas plantar, as áreas reflorestadas serão monitoradas por nós via satélite, que é uma maneira de garantir a manutenção da mata ao longo dos anos”, continua Razzoto.


Para 2009, o Telefônica Speedy GT3 Brasil planeja ter oito rodadas duplas. “A meta é compensar a emissão de CO2 de toda a temporada”, explica Razzoto. “Mas para isso os executivos do Projeto Oxigênio ainda procuram patrocínio. Nosso objetivo com esta parceria é divulgar o Projeto Oxigênio em todo o Brasil e estamos confiantes que encontraremos parceiros para nos aliar à GT3. Um evento esportivo de abrangência nacional é uma ferramenta ideal para esta divulgação”, finaliza o diretor-executivo do Projeto Oxigênio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *