GT3 Brasil: Viper leva a segunda e vai à ponta no campeonato.Decisão do título fica para Interlagos.

Xandy/Mattheis vencem novamente e assumem a liderança. Categoria teve pai e filho no pódio.

Em uma corrida bastante movimentada por várias trocas de posição, a dupla Xandy Negrão/Andreas Mattheis repetiu o desempenho da primeira prova deste domingo e ficou com a vitória também na oitava etapa do Brasil GT3 Championship no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Goiânia. A dupla assumiu assim a liderança no campeonato com 63 pontos contra 57 de Alceu Feldmann/Paulo Bonifácio, os antigos líderes, que não terminaram as duas provas devido à quebra do motor por superaquecimento. Faltando agora apenas a rodada dupla de Interlagos para o encerramento do campeonato, as duas equipes devem travar um duelo acirrado pelo título. Mais do que isso, Feldmann e Boni agora estão na alça de mira da dupla Walter Derani/Claudio Ricci (Ferrari F430), que depois da rodada goiana passaram a somar pontos suficientes para sonhar com o vice-campeonato.

“Foi uma vitória suada nessa pista, que oferece muitas possibilidades de disputa e brigas por posições”, lembrou Negrão. “Assim que assumi o carro e deixei os boxes, a pista ficou estreita quando tentei passar o Walter (Derani), mas mesmo assim consegui e então passei a me concentrar em administrar o ritmo e segurar o carro na pista”, contou Mattheis, referindo-se ao duelo que travou com o piloto paulista do Ferrari F430.

Emoção em família – Derani e Ricci terminaram no segundo lugar e, fechando o pódio em família, outro F430, do goiano Alencar Junior e de Rafael Derani, filho de Walter. “A emoção neste fim de semana tem sido muito grande. Estar no pódio com meu filho é muito especial. Só por isso já saio daqui muito satisfeito”, emocionou-se o Derani-pai. “Obter o segundo pódio na segunda corrida é um desempenho muito bom. Mais especial ainda por dividi-lo com o meu pai. Que seja a primeira vez de muitas”, espera Rafael.

Um dos destaques do dia foi o ex-piloto de Fórmula 1 Roberto Moreno. Ele largou na pole-position com seu Ferrari F430, tendo Xandy Negrão em seu retrovisor o tempo todo. Mais atrás, Cláudio Ricci, que largou em oitavo, ganhou várias posições e na quinta volta superou Alencar Junior para assumir a terceira posição. Na volta seguinte, Negrão ultrapassou Moreno e Valdeno Brito colocou o Porsche 997 na quarta posição ao também superar o goiano Alencar Junior.

Ao colocar uma volta no Viper de Sergio Lúcio, Roberto Moreno reiniciou a disputa pela primeira posição e assumiu novamente a ponta no 16º giro. Na volta seguinte, foi a vez de Ricci ultrapassar o carro de Negrão, pouco antes da abertura da janela obrigatória de tempo para a troca de pilotos (aos 23 minutos de prova).

Trocas de piloto – Roberto Moreno foi o primeiro dos ponteiros a fazer a parada, no 28º minuto de corrida. Cinco minutos depois, Brito entregou o Porsche para Antonio Hermann que, na volta 24, acabou abandonando com problemas mecânicos. No 34º minuto foi a vez de Xandy Negrão deixar o carro para Andreas Mattheis. E Cláudio Ricci entregou o F430 a Walter Derani dois minutos depois.

A corrida seguiu com pilotos lutando contra a falta de aderência no asfalto, gerada pelo calor e pela deterioração do próprio piso que desde sábado se esfarelava em alguns pontos. Fábio Casagrande (parceiro do estreante local Sérgio Lúcio), Marcelo Fernandes (Sérgio Laganá) e até Rafael Derani rodaram na pista. O piloto do Ferrari amarelo, parceiro do goiano Alencar Junior, se recuperou e ultrapassou Carlos Cresco (companheiro de Moreno) a três voltas do fim e assim garantiu o terceiro lugar e o pódio.

Rodada final – Um dos dramas do final de semana foi a quebra do motor do Lamborghini Gallardo da dupla Feldmann/Bonifácio. Sofrendo com o forte calor que dominou os trabalhos em Goiânia – temperatura ambiente oscilando entre 35oC e 37oC e no asfalto passando dos 60oC segundo medição das equipes – o Lambo teve superaquecimento que destruiu suas peças internas ainda na primeira corrida do dia. A equipe não conseguiu trocar o propulsor a tempo e isso resultou em um desastre em termos de luta pelo título. O time, que liderou a classificação desde a primeira corrida, agora terá que recuperar o prejuízo na rodada dupla final em Interlagos nos dias 1º e 2 de dezembro.

Resultado da 7ª corrida:

1º) Andreas Mattheis/Xandy Negrão (VC), 39 voltas em 1h00s29s521 (média de 148s34 km/h)
2º) Rafael Derani/Alencar Jr. (F4), a 31s755
3º) Antonio Hermann/Valdeno Brito (P9), a 48s995
4º) Carlos Crespo/Roberto Pupo Moreno (F4), a 1min05s416
5º) Walter Derani/Cláudio Ricci (F4), a 1min07s087
6º) Renato Cattalini/Luís Otávio Paternostro (F4), a 1min20s265
7º) Sérgio Laganá/Marcelo Fernandes (F4), a 1 volta
8º) Paulo Bonifácio/Alceu Feldmann (LG), a 9 volta

Resultado da 8ª corrida:

1º) Xandy Negrão/Andreas Mattheis (VC), 37 voltas em 59min01s507 (média de 144,23 km/h
2º) Cláudio Ricci/Walter Derani (F4), a 44s348
3º) Alencar Jr./Rafael Derani (F4), a 59s115
4º) Roberto Pupo Moreno/Carlos Crespo (F4), a 1min00s861
5º) Luís Otávio Paternostro/Renato Cattalini (F4), a uma volta
6º) Marcelo Fernandes/Sérgio Laganá (F4), a uma volta
7º) Fábio Casagrande/F. Lúcio (VC), a duas voltas

Não classificado: Valdeno Brito/Antonio Hermann (P9), a 15 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *