IndyCar: Bia Figueiredo supera mais um desafio em Long Beach

Pilotando o carro 24 da Ipiranga Dreyer & Reinbold Racing, Ana Beatriz Figueiredo concluiu de forma positiva o Toyota Grand Prix of Long Beach, válido pela terceira etapa do campeonato da Fórmula Indy, disputado no último domingo.

Ela largou da 26a posição e terminou na 19a, entre os 21 dos 27 carros que chegaram ao fim da corrida de 85 voltas pelos 3.168 metros do circuito de rua da Califórnia.

Com a mão direita fraturada na primeira etapa, e recém-operada para inserção de um pino no osso escafóide, Bia Figueiredo teve seus movimentos limitados pelo bracelete de fibra de carbono que precisou usar sobre a luva, para proteger o osso em calcificação de qualquer risco de lesão em eventual contato com outros carros.

“Nós melhoramos o bracelete, aumentamos um pouco a área de contato da minha mão com o volante, mas continuei não conseguindo segurar o volante com a adesão e a força necessárias para ser rápida em Long Beach. Não foi fácil guiar com uma mão só em umas cinco curvas. O braço esquerdo foi ficando muito cansado. Até questionamos se deveríamos ir até o fim, mas decidi ir de qualquer maneira”, resume a pilota da Ipiranga Racing, que compete na categoria estreante.

A corrida começou tensa para Bia, que errou na volta de apresentação. “Dei o pé demais com os pneus frios, rodei e o carro morreu. Isso já me atrasou logo de cara. Terminei a prova um pouco frustrada por estar limitada, mas o importante é que conseguimos chegar ao fim da corrida e pontuar. Agora vou continuar completamente dedicada à recuperação da minha mão para chegar à corrida do Brasil mais competitiva”, conclui Ana Beatriz Figueiredo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *