Indycar: Bruno Junqueira lidera, faz melhor corrida do ano no Texas

Mais do que pelo resultado em si, valeu pelo desempenho acima do esperado para quem não conseguiu ir além da 26ª posição no grid, limitado pelas condições do equipamento. Bruno Junqueira (Brasil Telecomunicações/Telemont) fez uma corrida consistente, conseguiu ficar distante dos acidentes que provocaram seis bandeiras amarelas em um dos mais desafiadores circuitos da temporada da IRL e igualou sua melhor colocação do ano em um circuito oval – o 15º lugar, tendo tido o gostinho especial de liderar, por duas ocasiões, a sétima etapa do campeonato.

Para um fim de semana que não começou bem, a noite de sábado mostrou motivos para otimismo, ainda que a aposta em uma estratégia alternativa de paradas nos boxes não tenha trazido os frutos esperados. A vitória, terceira no ano, ficou com o neozelandês Scott Dixon, da Ganassi, cada vez mais favorito ao título, à frente de Hélio Castroneves, da Penske.

Bruno fez uma ótima largada e, na primeira volta, já havia ganho sete posições, matendo-se na briga com Graham Rahal (Newman Haas) e E.J.Viso (HVM Racing). Na primeira neutralização, na 11ª das 228 voltas, o piloto da Dale Coyne optou por permanecer na pista e assumiu a liderança, recebendo a bandeira verde em primeiro e protagonizando uma boa disputa com Castroneves e Dixon. A quebra do carro de Darren Manning, na 23ª volta, deu ao mineiro a chance de fazer sua primeira parada sem perder muito tempo, recolocando-o no pelotão intermediário.

Com mais combustível no tanque e apostando em uma de suas principais virtudes, a capacidade de andar rápido poupando etanol, ele avançou novamente à ponta, quando do acidente com Justin Wilson, na 39ª passagem. Parou pouco depois, quando um problema com o Dallara Honda de Jaime Câmara voltou a neutralizar a corrida mas, no jogo das estratégias diferentes, ainda ocupou a 3ª posição. Como o andamento das voltas finais da corrida igualou a situação de quem permanecia na pista e os acidentes, com Enrique Bernoldi e, a sete voltas do fim, com Marco Andretti e Ryan Hunter-Reay, tornaram desnecessário um novo pitstop para os líderes, Bruno não teve a chance de subir mais algumas posições. Mostra de sua evolução, ele conseguiu tempos de volta melhores, por exemplo, que os de Hideki Mutoh, Danica Patrick e Will Power, que terminaram à sua frente.

“Sem duvida minha melhor corrida. Fiz uma excelente largada, onde
consegui passar sete carros, e então, na volta nove, em bandeira amarela, optei por não parar, numa tentativa de uma estratégia diferente dos lideres, e daí assumi a liderança. Mas ao fim da corrida, essa estratégia acabou me custando as duas voltas que perdi dos líderes, e apesar de ter tido uma performance bastante forte, tinha as duas voltas para superar, o que não deu, e acabei na 15ª posição, mas bastante satisfeito, por ter tido hoje meu melhor carro e meu melhor desempenho”
, destacou Bruno. A próxima etapa da IRL é o GP de Iowa, em Newton, dia 22, mais uma prova em circuito oval.

GP do Texas
Indy Racing League – sétima etapa

Resultado
1 – Scott Dixon (NZL) Ganassi 228
2 – Hélio Castroneves (BRA) Penske
3 – Ryan Briscoe (AUS) Penske
4 – Dan Wheldon (ING) Ganassi
5 – Tony Kanaan (BRA) Andretti Green
6 – Hideki Mutoh (JAP) Andretti Green
7 – Vítor Meira (BRA) Panther a uma volta
8 – Buddy Rice (EUA) Dreyer & Reinbold a uma volta
9 – Ed Carpenter (EUA) Vision a uma volta
10 – Danica Patrick (EUA) Andretti Green a uma volta
11 – Graham Rahal (EUA) Newman Haas Lanigan a duas voltas
12 – A.J. Foyt IV (EUA) Vision a duas voltas
13 – Will Power (AUS) KV Racing a duas voltas
14 – Ernesto Viso (VEN) HVM a duas voltas
15 – Bruno Junqueira (BRA) Dale Coyne a duas voltas
16 – John Andretti (EUA) Roth Racing a duas voltas
17 – Milka Duno (VEN) Dreyer & Reinbold a duas voltas
18 – Mário Moraes (BRA) Dale Coyne a cinco voltas

* Todos os pilotos com chassis Dallara e motores Honda

Classificação do Campeonato:
1) Dixon (NZL/Ganassi), 284 pontos;
2) Castroneves (BRA/Penske), 249;
3) Wheldon (ING/Ganassi), 217;
4) Kanaan (BRA/Andretti Green), 204;
5) Briscoe (AUS/Penske), 169;
6) Patrick (EUA/Andretti Green), 164;
7) Mutoh (JAP/Andretti Green), 159;
8) Marco Andretti (EUA/Andretti Green) e Ed Carpenter (EUA/Vision), 154;
10) Oriol Servia (ESP/KV Racing), 150;
12) Vitor Meira (BRA/Panther), 136;
17) Bernoldi (BRA/Conquest), 125;
21) Junqueira (BRA/Coyne), 96;
22) Mário Moraes (BRA/Coyne), 89;
29) Jaime Câmara (BRA/Conquest), 46.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *