IndyCar: Categoria apresenta opção que vai mexer com pilotos

Em um ambiente já repleto de alternativas técnicas, competidores poderão também optar pelo pé que acionará o freio

A Fórmula Indy coloca na pista a partir do dia 25 de março, quando será iniciada a temporada 2012 em São Petersburgo, mais uma alternativa técnica que vai mexer com o que mais importa neste esporte: a pilotagem. Além de um carro inteiramente novo e uma anunciada “guerra” entre as três marcas de motor inscritas (Honda, Chevrolet e Lotus), a categoria apresentará um sistema de pedais adaptáveis que pode influenciar radicalmente – na opinião dos próprios pilotos – o estilo de condução dos bólidos de 700 cv da categoria. E é mais um ingrediente que “esquentará” a disputa a ser vista ao vivo no Brasil, dia 29 de abril, durante a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé – única etapa da Fórmula Indy na América do Sul.

Produzido na Itália, o novo chassi Dallara conta com acionamento manual da embreagem e dois pedais – para freio e acelerador, colocados um de cada lado da coluna de direção. Tal disposição exige que os pilotos usem a técnica de frenagem com o pé esquerdo, algo que muitos fizeram somente nas categorias de base em carros com configuração da pedaleira semelhante. O tetracampeão Dario Franchitti fez questão de mostrar o peso desta situação ao comparar a situação à de um tenista destro que subitamente é obrigado a jogar com a mão esquerda: “É muito difícil aprender”, definiu, lembrando que os pilotos que freiam com o pé direito vêm de muitos anos de experiência utilizando esta técnica.

“É importante para mim que nós possamos fazer essa mudança”, disse Franchitti, referindo-se à possibilidade de modificar a pedaleira e passar a usar o pé direito para frenagem. O atual campeão da Indy testou o dispositivo na semana passada durante os testes oficiais da categoria, realizados em Sebring. “Faz uma diferença enorme para o piloto. E vai me ajudar a conseguir aquela pequena diferença, a extrair o máximo do carro”, explicou.

A opção para frenagem com o pé direito é feita pelo piloto mediante a encomenda de um kit que é instalado no carro. O equipamento muda o posicionamento do pedal do freio, colocando-o ao lado do pedal utilizado para acelerar. Dessa forma, ambos ficam instalados do mesmo lado da coluna de direção. Não há necessidade de modificações no chassi – o que também tornou a opção economicamente interessante. A primeira etapa do ano já exigirá muito dos freios – o que significa dizer que a técnica de frenagem pode ser decisiva para um bom resultado. Somente ao longo dessa prova os pilotos enfrentarão 289,6 quilômetros de corrida em um traçado de 2.896 metros dotado de 14 curvas. Ou uma curva a cada 206 metros: as reduções de velocidade serão constantes.

“Muitos pilotos fizeram essa mudança (frear com o pé esquerdo) ao longo dos anos, mas por uma questão de desempenho eu acho que a minha opção se encaixou bem no meu estilo de pilotagem”, Franchitti completou. “Podia mudar (usar o pé esquerdo), mas acho que eu renderia só 95% do que posso. Acho que precisaria de mais testes para chegar ao nível que atingi freando com o pé direito”.

INGRESSOS – Os ingressos para a etapa brasileira da IZOD IndyCar Series, que acontece no próximo dia 29 de abril, podem ser adquiridos no site oficial da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé (www.saopauloindy300.com.br) ou pelo endereço eletrônico da Livepass (www.livepass.com.br), além da central telefônica acessada pelo número (11) 4003-1527 (custo de ligação local, mais impostos), de segunda-feira a sábado, das 9h às 21h. Uma bilheteria oficial da prova (sem cobrança de taxa de conveniência) está disponível na capital paulista, no estádio do Morumbi (Praça Roberto Gomes Pedrosa, s/n – Morumbi) com funcionamento de segunda-feira a domingo, das 10h às 18h. A bilheteria não funciona em dias de jogos no estádio. Estudantes, crianças entre cinco e 12 anos – acompanhadas pelos responsáveis -, e idosos acima de 65 anos têm direito a meia-entrada. As instalações também oferecem acessos para portadores de necessidades especiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *