IndyCar: Fim de semana que começou mal termina com o melhor resultado de Bruno Junqueira em ovais na temporada

Ele não participou de boa parte dos treinos livres, que dariam a chance de se acostumar a mais um circuito em que nunca havia acelerado. Também não pôde lutar por uma posição no grid, já que a equipe Dale Coyne preferiu trocar componentes da suspensão e alterar a distância entre-eixos de seu Dallara Honda, operação que não foi completada a tempo. E, largando na última posição, tem bons motivos para ficar satisfeito com seu desempenho no GP de Kentucky, 14ª etapa da Indy Racing League (IRL), que entra em sua fase decisiva. Bruno Junqueira (Alcompac/Telemont) ganhou 12 posições em relação ao seu lugar no grid e, numa corrida em que vários adversários ficaram pelo caminho, conseguiu seu melhor resultado do ano em um oval. A 14ª posição veio como uma recompensa justa para um fim de semana complicado. No alto do pódio, pela sexta vez na temporada, o neozelandês Scott Dixon (Ganassi), cada vez mais próximo do título.

Bruno procurou fazer uma corrida inteligente, levando em conta as limitações de seu carro, em média cinco milhas por hora mais lento do que os dos principais times. Apostando mais uma vez na economia de combustível, ele conseguiu evitar os dois acidentes – com a venezuelana Milka Duno e com o australiano Will Power, soube se valer das duas bandeiras amarelas e chegou a ocupar a décima posição. No fim, com a necessidade de um quinto pitstop, caiu para o 14º. “Para o que enfrentamos, com os problemas da equipe para mudar o carro, o resultado foi positivo. Não esperávamos grande coisa, e conseguimos ganhar várias posições. Agora vamos para Sonoma, um misto, que, embora seja novidade para mim, tem tudo para nos trazer um desempenho bem melhor, como conseguimos em Watkins Glen e Edmonton”, afirmou o mineiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *