IndyCar: Leia os comentários dos pilotos brasileiros após a prova

Super coletiva com brasileiros, cinco pilotos e um chefe de equipe.

Bia Figueiredo:

“Estou muito feliz por ter terminado a corrida. Esse foi uma final de semana maravilhoso. Deu pra sentir a grandiosidade dessa prova, com as arquibancadas lotadas e o público gritando o nome dos pilotos. Tive alguns problemas na classificação e me sinto com o objetivo cumprido, especialmente porque fiz apenas um dia de pré-temporada. No começo da corrida eu estava mais tensa, mas logo comecei a pegar as manhas do carro. No final da corrida, já estava virando com tempos competitivos. Essa corrida é um marco na minha carreira. Agora é esperar que esse desempenho ajude nas negociações e eu consiga patrocínio para as demais etapas da temporada”

Mario Romancini

“Não dá para culpar a água no meu acidente. Estava uma volta atrás, tentando tirar a diferença, quando passei por um trecho com uma poça d’água e acertei o muro. Mas aprendi muito com essa corrida e acho que posso tirar muitas coisas boas. Vou para a próxima etapa, em St. Petersburg (28 de março), com outra mentalidade. Muitas coisas não serão mais novidade. Já conheço a pista e chegarei lá com muito mais segurança”

Helio Castroneves

“Aconteceu de tudo nessa corrida. Todo mundo rodou na minha frente e quebrou o bico do carro. Foi aí que começou o nosso pesadelo. Estava sobrevivendo na corrida e cheguei a ficar entre os dez primeiros, mas tomei a decisão errada de continuar na pista com pneus de chuva. O layout da pista é excelente e as mudanças ficaram ótimas. Acredito que os fãs da Indy gostaram, já que teve bandeira vermelha, amarela, enfim, teve de tudo nessa corrida. Acredito que para o ano que vem, com algumas mudanças e mais tempo dá para fazer uma corrida melhor. Entre as equipes que tem condições de brigar pelo título, não desmerecendo o Vitor e o Raphael, que conquistaram bons resultado, o único que distanciou foi o Will Power. Espero um resultado melhor na próxima etapa”

Tony Kanaan

“De longe não foi o resultado que eu esperava, mas sempre procuro olhar por um lado positivo e acho que o meu carro estava ótimo e até fizemos a segunda melhor volta da corrida. De verdade, foi uma corrida que me diverti, apesar de antes da última bandeira amarela estava muito sozinho. Na reta da Marginal Tietê dava para pensar na vida. Mas infelizmente a gente não controla o carro dos outros e fui vítima de um acidente de corrida. Não acho que a culpa é do Dan (Wheldon) porque isso acontece em automobilismo. A minha equipe fez um excelente trabalho e acho que estamos muito melhores do que o ano passado. É uma pena você perder a chance de brigar pela vitória por coisas que você não controla, ainda mais, justamente na prova em casa. Mas estou bem feliz porque o público aqui foi incrível comigo. Eles levantavam e me aplaudiam toda a vez que passava na reta dos boxes, independente da posição que eu estava. É de arrepiar mesmo. A Band, a Prefeitura e todos os envolvidos estão de parabéns pelo grande evento que mostraram para todos”,

Raphael Mattos

“Estou muito feliz com o desempenho. Conquistar um quarto lugar é excelente para uma equipe jovem. A corrida começou com muita tensão. Consegui me livrar dos acidentes e pular para frente. Só fiquei triste de não ter subido no pódio. Por alguma razão, meu carro chegou ao final da prova sem aderência suficiente para segurar o Vitor, mas foi um final de semana de sonho”

Gil de Ferran

“Essa foi uma semana especial, que marcou a minha estréia como chefe de equipe. O Raphael Matos fez uma corrida perfeita, rápido e sem cometer erros. A equipe também trabalhou muito bem e conseguimos tomar as estratégias acertadas. Uma vez acabado esse final de semana, dá para pensar no grande significado dessa corrida para São Paulo” 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *