IndyCar: Meira, depois de acidente: “Preferi conversar com Simona numa boa”

Brasileiro supõe colocação entre os cinco primeiros na antepenúltima etapa da Fórmula Indy no Kentucky

Um acidente na 80ª volta pôs fim à participação de Vitor Meira na 15ª e antepenúltima etapa do campeonato da Fórmula Indy. O abandono nas 300 Milhas do Kentucky foi o primeiro do brasileiro da A.J. Foyt Racing desde a sexta prova, em Indianápolis. A vitória no Kentucky foi de outro brasileiro, Helio Castroneves, que valeu-se de uma estratégia improvisada de paradas no boxe para ocupar pela segunda vez no ano o degrau mais alto do pódio.

Meira largou em 12º e era oitavo na prova no momento do acidente. Vinha manifestando à equipe, pelo rádio, sua satisfação com o equilíbrio do carro, o que lhe permitiu consolidar um ritmo capaz de torná-lo um dos mais rápidos da pista. Ao término da primeira sessão de pit stops, era nono. Havia acabado de superar o Penske de Ryan Briscoe quando deparou-se, na terceira curva do circuito, com o carro da suíça Simona de Silvestro, retardatária.

O brasileiro tomou a linha interna da pista e consumava a ultrapassagem quando a piloto da HVM Racing também moveu seu carro para dentro. Os carros se tocaram, rodaram e bateram no muro externo. Briscoe também foi envolvido no acidente. Apesar dos três carros terem ficado bastante danificados, nenhum dos três pilotos sofreu contusões sérias. Meira, apesar do abandono ainda na primeira metade da corrida, manteve seu 12º lugar no campeonato.

“Primeiro de tudo eu quero ver as coisas boas desta etapa”, disse o piloto brasileiro. “Meu carro estava bom, nós alcançamos e mantivemos um ritmo forte, conseguimos vir para a frente. Acho que, ao fim de cada jogo de pneus, meu carro era um dos mais rápidos da pista, isso é fruto de um grande trabalho que a equipe fez”, atribuiu. “Seguramente a gente tinha uma ótima chance de terminar entre os cinco primeiros. Mas bola para frente”, falou.

O brasileiro contou ter conversado com Simona ainda antes de chegarem aos boxes, momentos após o acidente. “É claro que fiquei um pouco irritado, mas preferi conversar com ela numa boa. Perguntei se ela sabia que eu estava ao lado dela, e ela me disse que já tinha sido avisada pelo spotter que o Briscoe estava ali por fora. Ela disse ‘acho que ele ia falar de você, mas aí aconteceu o acidente’, eu acho que foi isso mesmo. Isso acontece”, resumiu.

O acidente deixou Vitor Meira com dores nos ombros, no pescoço e nas costas. “Um dia depois de uma batida dessas é normal a gente ficar assim. Daqui a dois dias vou ficar novo em folha”, anteviu. A 16ª e penúltima etapa da F-Indy vai confrontar os pilotos no próximo dia 19 no Japão. A corrida final está confirmada para 2 de outubro em Homestead.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *