IndyCar: Moraes termina em sétimo no encerramento da temporada 2009 da Indy

Com isso, jovem piloto ainda melhorou sua posição na classificação final do campeonato.

O brasileiro Mario Moraes manteve a sequencia de bons resultados que obteve na reta final da Fórmula Indy. Na corrida que encerrou a temporada, no circuito de Homestead, Mario terminou em sétimo, após largar em 10º. O vencedor da prova e, consequentemente, do campeonato foi o escocês Dario Franchitti, que surpreendeu nas últimas voltas e conquistou o bicampeonato. Com o resultado de Miami, Moraes subiu uma posição e terminou sua segunda temporada na categoria em 14º, com 304 pontos, sete posições melhor que em seu ano de estreia.

“A equipe KV Racing Technology não se classificou como queríamos, e depois, perdemos um pouco de terreno durante o primeiro trecho. Mas, nos dois trechos restantes, o carro estava muito bom. No último deles, eu tive um dos carros mais rápidos na pista, e então, pude conquistar algumas posições. Estou um pouco desapontado, mas terminar em sétimo não foi tão ruim”, disse o paulista.

Esse foi o primeiro ano de Mario com a equipe KV Racing. Em 17 corridas, o piloto de 20 anos largou nove vezes entre os dez melhores, e terminou sete vezes no top-10 (lembrando que ele não disputou o GP de Mid-Ohio por causa do falecimento de seu pai). Moraes teve boas apresentações, principalmente, nas quatro últimas corridas da temporada e, nesse período, conquistou seus dois melhores resultados na categoria. No oval de Chicago, a 15ª etapa da temporada, o paulista largou em oitavo e subiu ao pódio pela primeira vez, em terceiro. Na corrida seguinte, em Motegi, Mario e sua equipe estreavam na pista japonesa, e conseguiram classificar-se em segundo no grid.

“A temporada foi bem dura por diversas razões. Nós tivemos um carro rápido durante todo o ano, especialmente para as classificações. Mas muitas coisas aconteceram e tivemos um pouco de azar. Depois, parece que as coisas mudaram a nosso favor. Nós fizemos algumas boas corridas no fim da temporada, terminando entre os cinco melhores e conquistando nosso primeiro pódio. No geral, pelo modo como terminamos o ano, estou feliz”, disse o piloto do carro #5.

“Definitivamente, eu aprendi muito do ano passado para este ano. Na verdade, eu aprendi mais esse ano do que em qualquer outra fase da minha carreira no automobilismo. Por isso, tenho de agradecer ao Kevin Kalkhoven, Jimmy Vasser, Mark Johnson, e todos os engenheiros e mecânicos da KVRT. Todos trabalharam muito duro durante toda a temporada e fizeram um grande trabalho”, concluiu. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *