IndyCar: Problemas nas voltas iniciais prejudiram prova de Junqueira

Tinha tudo para ser uma participação mais do que positiva, com a possibilidade de um lugar entre os 10 primeiros. E até começou muito bem.

Mas a quinta participação do mineiro Bruno Junqueira (Brasil Telecomunicações/Telemont) nas 500 Milhas de Indianápolis acabou comprometida na 12ª volta, depois de o mineiro ter sentido, por duas voltas, o gostinho de comandar o pelotão. Um problema com o retrovisor de seu Dallara Honda, equipamento indispensável para um oval em que a média é superior aos 350km/h, fez com que Bruno perdesse 15 voltas em relação ao restante do pelotão. Depois de largar em 15º e recuperar uma parte do atraso com um ritmo forte de prova, ele concluiu a corrida na 20ª posição. A vitória ficou com o neozelandês Scott Dixon (Ganassi), que havia largado na pole e superou o brasiliense Vítor Meira (Panther), melhor brasileiro.

Bruno chegou a ganhar uma posição nas voltas iniciais e cumpria o objetivo de permanecer no pelotão de ponta. Ao contrário de boa parte dos rivais, e apostando em uma estratégia agressiva, ele preferiu não fazer o reabastecimento na primeira bandeira amarela da prova, provocada justamente pela queda de seu espelho e tomou a ponta, mas foi obrigado a uma longa parada para o reparo. Na volta à pista, Bruno manteve uma média superior às 220 milhas horárias (353km/h) ritmo que, em condições normais, lhe daria uma boa chance de brigar pelo Top 10, e mostrou como o acerto conseguido nos treinos de preparação era o ideal para terminar bem a corrida. Bastante atrasado, restou ao mineiro remar, aproveitando-se dos acidentes e problemas mecânicos para chegar ao fim.

“Fico feliz apenas por ter chegado ao fim da corrida, mas não foi uma prova nada satisfatória. Começamos a corrida já quinze voltas atrás dos líderes, e depois disso foi apenas esperar pelos incidentes dos outros pilotos para conquistar posições. Felizmente tivemos um bom carro, mas infelizmente nao foi o suficiente para me pôr à frente. Depoisdo incidente em que perdi o espelho direito, nao estava mais na competição”, avaliou. De positivo, ficou o fato de ter sentido novamente a emoção de competir nessa que é uma das mais tradicionais provas do automobilismo mundial, três anos depois de um grave acidente que o deixou sem competir por 10 meses. “Esse foi sem dúvida o maior publico que ja vi. Um evento excepcional, e com uma vitoria merecida do Dixon.”

O piloto mineiro terá, já na semana que vem, uma chance para buscar um resultado à altura das expectativas. Pilotos e equipes da Indy Racing League voltam a acelerar em Milwaukee, na sexta etapa da temporada, um circuito conhecido de Bruno dos tempos da ChampCar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *