IndyCar: Will Power bate, e Ryan Hunter-Reay leva o título de 2012

O norte-americano Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport) sagrou-se Campeão da temporada 2012 da IndyCar, após a disputa do GP de Fontana, no Auto Club Speedway, última etapa do ano.

O australiano Will Power (Penske), que começou a prova com 17 pontos de vantagem sobre Hunter-Reay, bateu no muro logo no começo da prova, na 55ª volta. A equipe ainda tentou recuperar o carro, com o piloto retornando a pista na metade da prova. Com um carro muito lento, Power ainda deu 11 voltas. Suficientes para superar o venezuelano Ernesto Viso (KV Racing) que já havia abandonado, garantindo mais dois pontos.

Com isso Hunter-Reay, que não tinha um bom carro, tinha que terminar no mínimo em 5º lugar, para ficar com o título. Nas voltas finais o norte-americano contou com o abandono de rivais a sua frente, como o canadense Alex Tagliani (Bryan Herta Autosport), que teve o motor estourado, e ótimas relargadas, para ganhar posições.

Faltando dez voltas para o final, o brasileiro Tony Kanaan (KV Racing), que disputava com Hunter-Reay o título simbólico de Campeão dos Ovais, bateu no muro. A direção de prova agitou uma polemica bandeira vermelha, de paralisação.

A prova recomeçou, para mais seis voltas em bandeira verde. O escocês Dario Franchitti (Ganassi) era o líder, seguido pelo canadense Ed Carpenter (Ed Carpenter Racing) e Hunter-Reay.  Pouco depois da relargada, o neozelandês Scott Dixon (Ganassi), ultrapassou Hunter-Reay.

Na volta final, o japonês Takuma Sato (Rahal-Letterman), que pressionava Hunter-Reay, bateu no muro, com a amarela sendo agitada. Isso garantiu o título para o piloto da Andretti Autosport.

Carpenter passou Franchitti nas curvas finais, para vencer pela segunda vez na categoria (e primeira com sua própria equipe). Dixon fechou o pódio.

Hunter-Reay em 4º, somou três pontos a mais do que Power, que pelo terceiro ano consecutivo terminou como vice-campeão (em 2010 também perdeu a taça ao bater na última prova). Hunter-Reay também ganhou o Troféu A.J.Foyt (de piloto que mais pontuou nas provas em ovais).

O brasileiro Helio Castroneves (Penske) que logo após a relargada final entrou nos pits, colocando pneus novos, recuperou dez posições, mas não teve como evitar o título de Hunter-Reay.

O norte-americano Grahan Rahal (Ganassi) foi o 6º, seguido por Sato e o norte-americano Marco Andretti (Andretti Autosport), que queimou a relargada final e depois segurou os rivais ajudando Hunter-Reay.

A britânica Katharine Legge (Dragon) e o norte-americano Charlie Kimball (Ganssi) completaram os dez primeiros. Legge se envolveu em um toque com o compatriota Justin Wilson (Dale Coyne) na 80ª volta, durante uma bandeira amarela. Wilson, com o carro avariado, abandonou.

O brasileiro Rubens Barrichello (KV Racing) abandonou, com problemas mecânicos, na 107ª volta.

A prova teve doze líderes, e 29 trocas de liderança. Carpenter foi quem mais liderou, 62 voltas, seguido pelo compatriota J.R.Hildebrand (Panther) com 56, Kanaan com 47 e Dixon com 25. Tagliani foi líder em 21 voltas, Franchitti em 15, o britânico James Jakes (Dale Coyne) em dez, Sato, em seis, e Marco Andretti em três. O australiano Ryan Briscoe (Penske) e Castroneves lideraram duas voltas e o norte-americano Josef Newgarden (SFR), uma.

Foram dez bandeiras amarelas, por 43 voltas. Franchitti fez a melhor volta: 33s2470 (216,561 mph).

Hunter-Reay foi campeão, o primeiro norte-americano desde 2006, com 468 pontos, três a mais do que Power. Dixon terminou em 3º com 435, seguido por Castroneves com 431. O francês Simon Pagenaud (Sam Schmidt) foi o 5º com 387, com Briscoe em 6º com 370. Franchitti, depois de três campeonatos seguidos, terminou apenas em 7º com 363.

Kanaan foi o 9º com 351, com Barrichello em 12º com 289. A brasileira Bia Figueiredo (Andretti Autosport) disputou duas provas, e com 28 pontos, foi a 29ª. O brasileiro Bruno Junqueira (SFR) fez uma prova, e com 12 pontos, foi o 35º.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *