IndyCar: Will Power vence a São Paulo Indy 300

O australiano Will Power (Penske) venceu neste domingo (14/03), a São Paulo Indy 300, etapa de abertura da temporada. O norte-americano Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport) e o brasileiro Vitor Meira (Foyt), completaram o pódio.

Na largada no circuito montado no Anhembi o pole-position o escocês Dario Franchitti (Ganassi), manteve a ponta, seguido pelo canadense Alex Tagliani (Fazzt) e Reay. Logo no S do Samba o japonês Takuma Sato (KV Racing) estreando na categoria, rodou, acertando o Penske do brasileiro Helio Castroneves, com o inglês Justin Wilson (Dale Coyne) e o neozelandês  Scott Dixon (Ganassi), se envolvendo na confusão. Sato abandonou.

Pouco depois o norte-americano Marco Andretti (Andretti Autosport) e o brasileiro Maio Moraes (KV Racing), se enroscaram com o carro de Moraes (com a pintura que remetia a Lotus de F-1 das décadas de 1970 e 1980), parando com a roda traseira direita em cima do Dallara-Honda de Marco.

Moraes saiu rapidamente de seu carro, com a equipe de segurança, após alguns minutos, liberando Marco que saiu sozinho do carro.

Franchitti era o líder, seguido por Tagliani, Reay, e os brasileiros Tony Kanaan (Andretti Autosport) e Raphael atos (de Ferran Luczo Dragon).  A prova recomeçou na 9ª volta.

A primeira alteração nas primeiras posições aconteceu na 18ª volta, quando Reay superou Tagliani. Na 22ª volta a venezuelana Milka Duno (Dale Coyne), ficou parada na pista, acionando a segunda amarela da prova. Os pilotos aproveitaram para entrarem nos boxes. Kanaan saiu a frente de Tagliani.

Cinco voltas depois a bandeira verde foi agitada. A estreante suíça Simona de Silvestro (HVM), em outra sequencia de paradas nos boxes, assumiu a liderança, com Reay ultrapassando Franchitti no cotovelo, assumindo o segundo lugar. Pouco depois Reay já era o líder, ultrapassando de Silvestro. 

A chuva começou a cair, com o inglês Dan Wheldon (Panther), perdendo o controle do carro, e acertando Tagliani, que foi para o muro e na volta acertou Kanaan, que foi para a área de escape. O baiano e o inglês voltaram, com uma volta de atraso, a prova.

Com a forte chuva as rodadas começaram. O inglês Alex Lloyd (Dale-Coyne) bateu na Reta os Bandeirantes trazendo a bandeira amarela. Os pilotos foram para os boxes, colocar pneus de chuva.

Com 34 voltas percorridas a direção de prova mostrou a bandeira vermelha, paralisando a corrida com 1h14m de corrida. Os carros foram para os pits, com as equipes não podendo mexer nos carros. Com o fim da chuva e a pista secando, a prova recomeçou 45 minutos depois, sendo anunciado que iria terminar no tempo limite de duas horas.

Franchitti voltou à liderança, seguido por Dixon e o inglês Mike  Conway (Dreyer Reinbold). Ao contrário dos demais pilotos Reay, Briscoe e Matos trocaram os compostos voltando para os slick. Com a pista seca os pilotos indo para os boxes para trocarem os pneus de chuva, Reay era novamente líder na 43ª volta. Três voltas depois Briscoe passou Matos pelo segundo lugar, com o brasileiro e estreante Mario Romanacini (Conquest), provocando outra amarela, ao bater no muro da saída da Curva Tietê.

Com um carro mais veloz Briscoe descontou os seis segundos de diferença que tinha para Briscoe. No cotovelo Reay ultrapassou Briscoe, contudo no S do Samba o australiano deu o troco, recuperando a posição. Reay continuou colado no carro do rival, e uma volta depois, na entrada do Sambódromo, repetiu a ultrapassagem, desta vez sem receber o troco.

Briscoe não conseguiu livrar vantagem, com Reay pressionando o piloto da Penske, que acabou errando na entrada da Marginal, na 53ª volta, acertando a barreira de pneus. A bandeira amarela foi novamente acionada.

Faltando seis minutos para o fim da prova veio a bandeira verde. Meira passou Matos pelo terceiro lugar e três minutos depois foi a vez de Power ultrapassar Reay, para vencer. 

Matos terminou em 4º, seguido por Wheldon e Dixon e Franchitti. Conway foi o 8º, com Kanaan em 9º e Castroneves na 10ª posição. A estreante brasileira Bia Figueiredo (Dreyer&Reinbold), foi a melhor das quatro mulheres inscritas na prova, com o 13ª lugar, duas a frente da “veterana” norte-americana Daica Patrick (Andretti Autosport).

A próxima etapa, também em circuito urbano, acontece em São Petesburgo, na Flórida, no dia 28 de março.

Final:

1°. Will Power (AUS/Penske), 2h00min58s ( 61 voltas)
2°. Ryan Hunter-Reay (EUA/Andretti), a 1s8581
3°. Vitor Meira (BRA/A.J.Foyt), a 9s7094
4°. Raphael Matos (BRA/De Ferran Luczo Dragon), a 10s4235

5°. Dan Wheldon (ING/Panther), a 10s8883
6°. Scott Dixon (NZL/Chip Ganassi), a 11s3473
7°. Dario Franchitti (ESC/Chip Ganassi), a 12s0579
8°. Mike Conway (ING/Dreyer & Reinbold), a 12s1654
9°. Helio Castroneves (BRA/Penske), a 12s7411
10°. Tony Kanaan (BRA/Andretti), a 13s4850

11°. Justin Wilson (ING/Dreyer & Reinbold), a 13s9193
12°. Ernesto Viso (VEN/KV), a 16s9039
13°. Bia Figueiredo (BRA/Dreyer & Reinbold), a 19s6451
14°. Ryan Briscoe (AUS/Penske), a 1min14s9191
15°. Danica Patrick (EUA/Andretti), a 1 volta
16°. Simona de Silvestro (SUI/HVM), a 3 voltas
17°. Mário Romancini (BRA/Conquest), a 15 voltas
18°. Alex Lloyd (ING/Dale Coyne) a 31 voltas
19°. Alex Tagliani (CAN/Fazzt), a 33 voltas
20°. Hideki Mutoh (JAP/Newman-Haas-Lanigan), a 34 voltas
21°. Milka Duno (VEN/Dale Coyne), a 41 voltas
22°. Takuma Sato (JAP/KV), a 61 voltas
23°. Marco Andretti (EUA/Andretti), a 61 voltas
24°. Mario Moraes (BRA/KV), a 61 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *