Informações: CBA completa 45 anos

Aniversário da entidade máxima do automobilismo brasileiro acontece em meio ao resgate de credibilidade perdida no passado, ao registro de crescimento no presente e de desafios para o futuro.



A Confederação Brasileira de Automobilismo completa neste Feriado da Independência de 2006 o seu 45º aniversário. No dia 7 de setembro de 1961 a CBA foi criada pelas federações de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro, além dos automóveis clubes de Brasília e Blumenau (SC). Seu primeiro presidente foi Edgard Bezerra Leite, que exerceu o mandato a partir de 1963. De lá para cá, a entidade passou por diversas fases e a atual, iniciada com a presidência do advogado carioca Paulo Enéas Scaglione, em janeiro de 2001, registra o período de maior avanço do automobilismo brasileiro.


 


A gestão Paulo Scaglione ampliou a ação da CBA em vários aspectos. A CBA registra um crescimento no número de pilotos atuantes. Se até o final de 2000 esse número era de 2.318 atletas em atuação, hoje essa marca está próxima dos 8.000 esportistas. Esse crescimento no número de piloto aconteceu porque a atual gestão implantou, de forma decisiva, a política do automobilismo plural.


 


Isso significa dizer que, em lugar de pensar o esporte apenas no Sul do País e na forma de poucas categorias, a atual presidência alavancou novas modalidades, criou campeonatos, introduziu novas regiões do Brasil ao mapa do automobilismo brasileiro e permitiu que novos pilotos entrassem no esporte através de categorias compatíveis com os anseios esportivos, disponibilidades financeiras e foco regional de cada um.


 


Assim, no calendário nacional da CBA estão estabelecidos 44 campeonatos brasileiros e/ou regulamentos homologados e em todas as modalidades do esporte: velocidade no asfalto, velocidade na terra, rali, off-road, kart e arrancada. Vale acrescentar que esse mesmo calendário tem sido apresentado com a antecedência necessária para o planejamento de competidores, equipes e demais profissionais que atuam no esporte. Nessa mesma seqüência, estabelecida e mantida desde o início da gestão Paulo Scaglione, o calendário 2007 estará sendo divulgado no período novembro/dezembro. As mudanças que ocorrem ao longo do ano são, sem exceção, autorizadas pela CBA por solicitação dos promotores.


 


Alicerçado por uma atividade esportiva de quase 35 anos e sabedor da importância do kartismo e do automobilismo regional como base do esporte, Paulo Scaglione promoveu uma série de ações para permitir o ingresso mais acessível de jovens pilotos às categorias de entrada do kartismo, tais como a Mirim e Cadete, e ampliou o espaço de ação das federações estaduais. Na prática, isso significa dizer que em todas as federações filiadas, com ou sem autódromos, o automobilismo se desenvolve nas modalidades que compõem o quadro do esporte a motor sob a responsabilidade da CBA.


 


A CBA comemora, também, uma representatividade internacional nunca vista. Além de membro permanente da Assembléia Geral da Fédération Internationale de L’Automobile (FIA), o Brasil desde o ano passado passou a fazer parte do Conselho Mundial de Esporte a Motor da entidade, resultado da eleição vencida pelo presidente Paulo Scaglione. A participação brasileira se verifica também na presença de membros da CBA em diversas comissões da FIA.   


 


No âmbito interno, além de promover o crescimento do esporte, a CBA lidera uma disputa com a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro para a liberação do Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá. Nesse momento, quando essa luta está próxima de completar cinco anos de ações ininterruptas, inclusive jurídicas, as provas deverão ser retomadas ainda em setembro, caso a Prefeitura não desrespeite mais uma vez a determinação judicial. Nesse ponto, é importante detalhar que todas as ações da CBA são estritamente dentro da lei, não sendo instrumento da entidade ações pirotécnicas.


 


Por outro lado, a essa luta para impedir a destruição do automobilismo no Rio de Janeiro, soma-se o fato de a CBA estar engajada em diversos projetos de novos autódromos, quer na sua liderança, quer no apoio à iniciativa. Tal movimentação deverá dotar o Brasil de novas pistas de corridas já a partir do próximo ano. Essas ações ocorrem em Santa Catarina, Paraná, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte e Tocantins. Já em São Paulo, a CBA e a prefeitura de Taubaté trabalham, em parceira, na fase final do projeto e no início das obras, previsto ainda para este ano. Por intermédio da iniciativa privada, o projeto para Cabreúva está em estágio avançado e há tratativas em relação a empreendimentos dessa natureza em Presidente Prudente e Bauru.


 


Sendo assim, ao comemorar 45 anos, a presidência da CBA se orgulha em recuperar a imagem da Confederação, de desenvolver o esporte e de travar lutas pelo bem do automobilismo. Essas ações terão continuidade, sem sombra de dúvida, pois a aprovação ao trabalho desenvolvido pelo presidente Paulo Scaglione é muito grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *