IRC: Disputa entre brasileiros e estrangeiros aumenta a expectativa para etapa do IRC em Curitiba

Representantes do País inscritos no Intercontinental Rally Challenge apostam em prova acirrada com os pilotos de fora do Brasil.

A segunda etapa do Intercontinental Rally Challenge, o IRC, que será disputada nos dias 4, 5, 6 de março, em Curitiba (PR), trará uma disputa entre pilotos brasileiros e estrangeiros. Contra uma legião de favoritos que tem nomes como o britânico Kris Meeke e o tcheco Jan Kopecky, atuais campeão e vice da categoria, respectivamente, estarão Daniel Oliveira, único brasileiro confirmado para a sequência da temporada do IRC, Oswaldo Scheer, que participou da prova em 2009 e neste ano fará as etapas do Brasil, Argentina e Itália, o novato Eduardo Scheer, que segue os passos do pai, e Paulo Nobre, o Palmeirinha, que traz na bagagem a experiência de ter disputado duas edições do Rally Dakar.
Para os brasileiros, o que deve pesar na disputa contra os estrangeiros é a diferença de equipamento. “A configuração técnica dos carros é muito diferente. O pessoal que vem de fora costuma usar carros S2000 enquanto nós, os argentinos, os chilenos e os paraguaios usamos o modelos normais da N4. Apesar da diferença de equipamentos, acho que temos condições de surpreender em pelo menos duas especiais e tentar andar entre os primeiros”, afirmou Oswaldo Scheer. O baiano Daniel Oliveira, que disputou a primeira etapa do IRC, em Mônaco, viu de perto a qualidade dos concorrentes europeus e fez sua análise. “O pessoal de fora é muito bom, mas acredito que tenho condições de terminar entre os primeiros”, comentou.
Para Eduardo Scheer, filho de Oswaldo, mais importante do que andar entre os ponteiros é adquirir experiência para consolidar sua carreira de piloto de rali. “Os estrangeiros sempre chegam fortes, com bom equipamento, então vou correr para ganhar experiência. Vou fazer o meu melhor, procurar andar o mais rápido possível e terminar a prova na melhor colocação. Andar entre alguns dos melhores pilotos de rali vai me ajudar a ganhar experiência”. Paulo Nobre, o Palmeirinha, destacou, além da competitividade dos pilotos que participam da disputa, a dificuldade técnica da prova. “Vai ser uma etapa muito complicada e rápida, mas vale ressaltar que também há trechos técnicos”, analisou.
O Rally Internacional de Curitiba será realizado nos dias 4, 5 e 6 de março e tem o patrocínio da Peugeot do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *