IRL: Bruno Junqueira é confirmado como piloto da Dale Coyne para a temporada da IRL e intensifica treinos para a estréia

A brigada verde-amarela na Indy Racing League (IRL) ganhou, oficialmente, um reforço e tanto para a próxima temporada da categoria, que marca a unificação do automobilismo de fórmula nos EUA, depois dos 12 anos de rivalidade com a ChampCar. Três vezes vice-campeão da segunda (2002/2003/2004) e um de seus principais nomes nos últimos anos, o mineiro Bruno Junqueira vai acompanhar a Dale Coyne Racing no novo desafio. Nem mesmo a correria para preparar o equipamento e se adaptar ao chassi Dallara e ao motor Honda, usados na IRL desde 2003, diminui a empolgação do piloto de 31 anos, que inicia seu oitavo ano nas pistas americanas. Ele encerrou ontem seu primeiro teste com os novos carro, cores e número (18) e mostrou que pode incomodar os representantes de times tradicionais, como Penske, Ganassi e Andretti Green.

Bruno estabeleceu a segunda melhor marca (53s233) na quarta-feira, no treino exclusivo para as equipes que estão chegando à categoria, no circuito misto de Sebring. Na ocasião, aproveitou para testar mudanças no acerto de chassi e suspensão e analisar o comportamento dos pneus Firestone. O trabalho prosseguiu ontem, mas acabou interrompido quando uma falha nos freios provocou um leve acidente na saída dos boxes, que exigiu reparos no Dallara. Na segunda-feira, piloto e equipe voltam a acelerar, desta vez no oval de Homestead, que sedia a prova de abertura do campeonato, dia 29, com uma corrida noturna. Será a chance de Bruno se readaptar a esse tipo de pista, que não integrava o calendário da ChampCar desde 2006.


Para o mineiro, o simples fato de a Coyne ter conseguido preparar a estrutura necessária à mudança de categoria em tempo recorde deve ser comemorado como um grande resultado. Os mecânicos do time de Plainfield foram obrigados a trabalhar em três turnos para montar o carro, recebido no início do mês. “Como toda e qualquer mudança, nossa transferência para a IRL não será fácil, mas fazer a transição com a Dale Coyne, em que estou há dois anos, suaviza bastante as dificuldades. Foram três semanas de muito trabalho para todos, nos diversos departamentos da equipe e chegar a Sebring sendo competitivos logo de início é uma vitória. Sabemos que a proxima semana será ainda mais dura, com o
primeiro treino em oval e a corrida na mesma pista, mas estamos certos de que fazemos o nosso melhor, e os resultados, como forem, serão bastante comemorados.”


A Coyne será, em 2008, uma equipe totalmente brasileira, já que o estreante Mário Moraes, vice-campeão sul-americano de F-3 correrá com o outro carro do time. Além de Bruno e Moraes, Tony Kanaan (Andretti Green), Hélio Castroneves (Penske), Vítor Meira (Panther) e Enrique Bernoldi (Conquest) estão confirmados para a temporada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *