IRL: Segundo em Michigan, Meira revê metas para temporada

Brasileiro da Panther liderou o maior número de voltas da prova, feito inédito em sua carreira, e já pensa em subir posições no campeonato.


O segundo lugar no GP de Michigan, no último domingo (30), serviu para Vitor Meira redefinir seus objetivos para a temporada 2006 da Fórmula Indy. Ainda em quinto lugar na tabela de classificação, posição que atende as metas iniciais, o piloto brasileiro da Panther Racing declarou, após as 200 voltas da corrida, que já vê viabilidade na luta que pretende empreender nas três etapas finais para ganhar mais uma posição no campeonato.

“Quando começamos o ano, não tínhamos uma idéia tão claro de até que ponto conseguiríamos ser competitivos, porque a equipe estava vindo de uma fase de reestruturação. Melhoramos a cada prova, progredimos e vimos que havia uma boa chance de tentar terminar o campeonato entre os cinco primeiros”, analisou. “A evolução do nosso trabalho, hoje, nos permite pensar em terminar a temporada entre os quatro, talvez entre os três”, acrescentou.

O GP de Michigan foi o primeiro em que Vitor foi líder pelo maior número de voltas em 57 participações na Fórmula Indy. Sexto no grid, assumiu a primeira posição na 54ª volta e a manteve até o terceiro de seus quatro pit stops. Quando voltou à pista, estava atrás do também brasileiro Helio Castroneves, que obteve a quarta vitória no ano. “Eu segurei o Helinho por umas 40 ou 50 voltas, se voltasse do pit à frente dele, ele não me passaria”, garantiu.

As 75 voltas em que esteve na liderança evidenciaram a maior chance de Vitor de chegar à primeira vitória na categoria. “O problema foi o pit stop, a gente ainda não sabe a razão exata. Pode ser que eu tenha sido mais lento na entrada ou na saída dos boxes, pode ser que a nossa parada tenha sido mais demorada, ou que a do Helio tenha sido mais rápida, simplesmente. O fato é que, naquele momento, perdemos a chance de ganhar”, avaliou.

O saldo do fim de semana em Michigan foi positivo, na análise do piloto da Panther. “Há corridas em que todos ficamos muito felizes com um segundo, ou um terceiro, ou um quinto lugar, porque quando termina a prova nós sabemos que conseguimos tirar 120% do que a situação poderia oferecer. Mas não foi o que aconteceu agora. Erramos e perdemos, mas muitos outros pilotos tentaram o possível para ficar em segundo e não conseguiram”, observou.

O resultado final da prova em Michigan, consideradas entre parênteses as posições de largada de cada piloto, foi o seguinte:
1º) (1) Helio Castroneves (BRA/Team Penske), 200 voltas
2º) (6) Vitor Meira (BRA/Panther Racing), a 1s6229

3º) (9) Dan Wheldon (ING/Chip Ganassi Racing), a 6s2259
4º) (3) Tony Kanaan (BRA/Andretti Green Racing), a 6s9874
5º) (8) Tomas Scheckter (AFS/Vision Racing), a 27s9005
6º) (13) Scott Sharp (EUA/Delphi Fernandez Racing), a 28s5560
7º) (4) Ed Carpenter (EUA/Vision Racing), a 1 volta
8º) (19) Marco Andretti (EUA/Andretti Green Racing), a 1 volta
9º) (14) Kosuke Matsuura (JAP/Super Aguri Fernandez Racing), a 1 volta
10º) (16) Jeff Simmons (EUA/Rahal-Letterman Racing), a 1 volta
11º) (12) Bryan Herta (EUA/Andretti Green Racing), a 1 volta
12º) (7) Dario Franchitti (ESC/Andretti Green Racing), a 1 volta
13º) (10) Buddy Rice (EUA/Rahal-Letterman Racing), a 1 volta
14º) (18) Jeff Bucknum (EUA/A.J. Foyt Enterprises), a 2 voltas
15º) (15) Buddy Lazier (EUA/Dreyer & Reinbold), a 2 voltas
16º) (5) Scott Dixon (NZL/Chip Ganassi Racing), a 2 voltas
17º) (11) Danica Patrick (EUA/Rahal-Letterman Racing), a 3 voltas
18º) (17) Marty Roth (EUA/Roth Racing), a 8 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *