Kart – Brasileiro: Faltou sorte e sobraram problemas para Hybernon no Brasileiro

Motores travados, calor excessivo, acidentes e pneu furado fizeram parte do “cardápio” do cearense.


A 41ª edição do Campeonato Brasileiro de Kart, foi recheada de problemas para o cearense Hybernon Cysne (Construtora Marquise/ Newland/ Beach Park/ Capitalize Fomento/ EIT/ Aspectho/ Banco Pine/ Trana/ Construtora Carioca). Tudo começou nos treinos de classificação, quando os motores dos seus karts travaram exatamente na hora que ia abrir sua primeira volta.

Com isso o representante cearense na Super Sênior e na Sênior A, teve de largar em último lugar no grid em ambas classes. Hybernon posteriormente declarou que largar do fundo do pelotão é muito complicado, já que todos vem com a “faca nos dentes”, e assim os acidentes na primeira curva são muito comuns. a primeira bateria da Sênior A, o piloto vinha se recuperando na corrida, mas acabou se envolvendo em um acidente e terminou em um distante 17º lugar. Na Super Sênior o que se viu foi uma repetição da classe A, com grande início de corrida com recuperação, até um acidente lhe impedir de chegar entre os seis primeiros.

Ainda na tarde de sexta-feira aconteceram as 2ª baterias de ambas as classes, e novamente o resultado ficou aquém do esperado, apesar de Hybernon contar que o equipamento estava muito bom. Tanto é verdade, que o piloto terminou em sexto lugar na Super Sênior, tendo travado um grande duelo com Evaldo Luz e Jorge Borelli.

Toda expectativa de um bom resultado no Brasileiro ficou para o sábado, principalmente na Super Sênior onde ocupava o oitavo lugar na classificação geral. Entretanto, a falta de sorte voltou a se fazer presente no sábado. Na Sênior A um novo motor travado tirou o cearense da prova, quando este tinha grandes chances de figurar entre os seis primeiros. Com isso o piloto optou por não correr a derradeira bateria, se dedicando inteiramente à Super Sênior.

Largando em sexto na terceira bateria, Hybernon avançou rumo aos ponteiros, mas atingido por trás acabou vendo seu kart enganchado no de Jorge Borelli. Hybernon rodou no meio da pista, e felizmente ninguém bateu em seu kart, que ficou no sentido contrário ao do pelotão que chegava. O piloto voltou à corrida, e ainda conseguiu cruzar a bandeirada em 10º, mas um pneu furado lhe tirou a chance de avançar ainda mais na classificação final.

Na última bateria do campeonato, sua prova durou somente três voltas, quando ao tentar ultrapassar um adversário foi tocado e o eixo traseiro empenou.

“O campeonato acabou ainda no primeiro dia, com os motores quebrados na classificação. Dai em diante tudo ficou muito difícil, e um problema acabou levando a outro. Foi pena, depois de tanto trabalho e dedicação, mas agora é trabalhar para o Brasileiro de 2007”, concluiu o piloto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *