Kart – Brasileiro: Anderson Moraes avalia seu desempenho no campeonato

O piloto da categoria Sênior B, Anderson Moraes (Silcom / Kart Mini / MSC Motorsport / Motomex), atual campeão Sul-Brasileiro da categoria, confessou que o tímido desempenho obtido no Campeonato Brasileiro de Kart, realizado na semana que passou em Itumbiara (GO) deveu-se, principalmente, a dois fatores: falta de experiência e de preparo físico. Ao fim das quatro baterias disputadas, o piloto paranaense terminou a competição na 10ª colocação.

“Nunca tinha andado em tanta borracha numa temperatura tão alta. Isso nos atrapalhou bastante. Minha equipe e o pessoal da Mini trabalharam muito para acertar o chassi de modo a minimizar tal deficiência. O que me deixou chateado no decorrer da competição é que mesmo com todo o esforço, não rendi o esperado”, declarou o piloto, explicando sua dificuldade em andar em uma pista tão emborrachada e que, em média, alcançava a temperatura de 60 graus em seu asfalto.

Mesmo assim, Moraes mostrou sua evolução na competição ao obter a terceira marca na tomada de tempos. Ele também foi protagonista em algumas disputas de posição ao longo das quatro baterias.

“A falta de preparo físico ficou evidente na primeira bateria quando perdi quatro posições e no final já não conseguia mais segurar o pescoço nas curvas para a direita. Cheguei em sexto. Na segunda bateria, optamos por experimentar o chassis mais antigo. Ficou um pouco mais fácil de guiar e, quando já disputava a segunda posição, fui atingido por trás, rodei e não tive como melhorar. Novamente sexto. Um erro cometido numa tentativa de ultrapassagem me deixou de fora da terceira bateria e uma quebra de motor na final encerrou a minha participação neste Brasileiro”, avalia Moraes.

Depois de justificar seu desempenho, Anderson agradece e finaliza em tom de brincadeira: “Todos da equipe estão de parabéns. Motomex, Kart Mini e MSC Preparações não negaram esforços para a obtenção do melhor resultado”, acredita. “O piloto foi sumindo à medida que aumentava a temperatura e a borracha na pista. De qualquer forma, mais vale uma semana ruim no kart do que uma boa semana de trabalho”, concluiu ele com bom humor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *