Kart: Brasileiro disputa torneio internacional na Itália

Henrique Martins é o único piloto do país na 17ª edição do Trofeo Andrea Margutti, que neste ano reúne 238 kartistas, de 32 nacionalidades, no Kartódromo Internacional de Parma.

Começam na próxima sexta-feira (10/3) os treinos oficiais para a 17ª edição do Trofeo Andrea Margutti, tradicional competição do kartismo internacional que é considerada uma das prévias do Campeonato Mundial da modalidade, marcado para o dia 1º de outubro, em Angerville, na França. Neste ano, 238 pilotos de 32 países, divididos em três categorias, estarão reunidos no Kartódromo de Parma, na Itália, em busca de um título que já pertenceu a Giancarlo Fisichella – um dos grandes nomes do kartismo italiano nos anos 90 e hoje piloto da equipe Renault na Fórmula 1.

O Brasil enviou apenas um representante para a edição de 2006 do Andrea Margutti, e apesar de ser reconhecidamente uma das forças do automobilismo mundial, tem pouca tradição no torneio italiano. “Um brasileiro nunca venceu este campeonato e este é um dos grandes desafios dessa nova geração de kartistas”, acredita o paulista Henrique Martins (Grupo Agrenco/Terlogs/ Cargonave), que aos 14 anos de idade é o único defensor do verde-amarelo na competição e faz sua primeira prova internacional.

Campeão Paulista em 2005, Henrique é uma das grandes promessas da categoria Júnior do kartismo nacional, e além do natural objetivo de buscar a vitória no Andrea Margutti, ele viajou a Parma com o intuito de se acostumar às competições internacionais, que devem ser seu principal foco nas próximas temporadas. “Obviamente, vou entrar na pista pensando na vitória, mas correr no exterior é tão diferente de competir no Brasil que o aprendizado também é uma das minhas metas”, completou o piloto.

Além de precisar superar a barreira do idioma – já que correrá na Itália por uma equipe Holandesa –, Henrique Martins terá que se acostumar ao peculiar regulamento do Andrea Margutti para trazer o título inédito para o Brasil. Além de exigir menor peso do conjunto kart-piloto (o que, invariavelmente, faz com que os brasileiros corram acima do peso mínimo permitido), a regra geral da competição também prevê o uso de pneus mais moles e aderentes do que os adotados no Brasil. O motores de 100cc, menos potentes que os 125cc nacionais, requerem uma tocada mais técnica e exigem tempo para adaptação.

“Essas diferenças, principalmente em relação ao pneu e ao motor, têm sido minha principal preocupação nos treinos livres iniciados na última terça-feira”, falou, de Parma, Henrique Martins. “O kart que estou usando aqui é mais lento nas retas, mas é mais rápido no contorno de curvas por causa do pneu, e isso exige uma tocada diferente”, encerrou o piloto.

O troféu Anreao Margutti termina no próximo domingo e vai coroar três novos campeões nas categorias 100cc Júnior, 100cc ICA e 100cc Fórmula A.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *