Kart: Giuliano Raucci conquista Sepang e o vice da Rotax MicroMax

A conquista do titulo de Campeão da categoria Cadete na Copa Brasil de Kart de 2009 rendeu ao piloto paulista Giuliano Raucci (Refrigerantes Dolly/ ULV/ KartZoom) a possibilidade de fazer sua estréia internacional, já que em razão de pacto tríplice entre a CBA- Confederação Brasileira de Automobilismo, a empresa Sangari Brasil e a Reunion Sports e Marketing, o título conquistado também serviu como classificação para as disputas do Red White Sangari International Kart Grand Prix, que aconteceu (entre os dias 20 e 22 de novembro) no Sepang International Karting Circuit na Malásia.

A conquista do titulo de Campeão da categoria Cadete na Copa Brasil de Kart de 2009 rendeu ao piloto paulista Giuliano Raucci (Refrigerantes Dolly/ ULV/ KartZoom) a possibilidade de fazer sua estréia internacional, já que em razão de pacto tríplice entre a CBA- Confederação Brasileira de Automobilismo, a empresa Sangari Brasil e a Reunion Sports & Marketing, o título conquistado também serviu como classificação para as disputas do Red White Sangari International Kart Grand Prix, que aconteceu (entre os dias 20 e 22 de novembro) no Sepang International Karting Circuit na Malásia.

 

Acompanhado pelos kartistas Pietro Rimbano, Victor Franzoni, Matheus Protti, Vinicius Perdigão e o piloto Rafael Suzuki que compete na F3 alemã, Raucci integrou o veloz Brazilian Team que defendeu as cores do pavilhão nacional no evento e que estava sob comando de Binho Carcasci, membro da CNK- Comissão Nacional de Kart e promotor da Seletiva de Kart Petrobrás. Giuliano Raucci e os demais membros da delegação brasileira desembarcaram em Kuala Lumpur no principio da tarde da terça-feira (17/11) e apesar do natural cansaço de mais de vinte horas de viagem, tratou de ir para o kartódromo conhecer o circuito malaio vizinho ao circuito que recebe o GP de Formula 1. Mas haviam dificuldades a serem superadas para um bom desempenho do jovem kartista de apenas dez anos de idade, a adaptação ao fuso horário de dez horas a mais da hora oficial brasileira e o estado febril, decorrente de uma forte gripe que acometera.

 

Na manhã seguinte a delegação brasileira preocupou-se em receber e fazer a montagem dos karts e motores destinados aos kartistas brasileiros. O certame adotou a formatação do RotaxMax Challenge, categoria que é disputada simultaneamente em 52 paises, com três classes distintas adotando como motorização os propulsores Rotax: Rotax MicroMax para os pilotos com até 11 anos de idade, RotaxMax Junior, para os desportistas com idade entre 12 e 14 anos e RotaxMax Senior para pilotos com idade superior a 15 anos. Ante ao regulamento das classes do certame, o “Cadete” Giuliano Raucci foi inscrito para disputar a categoria Rotax MicroMax, a mesma em que foi inscrito o também brasileiro Pietro Rimbano, piloto regular da categoria Junior Menor.

 

Raucci recebeu dos organizadores um chassis italiano Birel C28, que foi primorosamente ajustado pelo experiente preparador brasileiro Claudio “Sabiá” Dantas. Embora ainda com a renitente febre e o natural mal-estar decorrente do estado gripal, Giuliano adaptou-se rapidamente ao novo chassis, aos compostos de pneus diferentes dos utilizados no Brasil, à curva de potencia do motor Rotax e ao belo traçado malaio, para em poucas voltas já estar completando suas voltas no Sepang International Kart Circuit com tempos extremamente competitivos.

 

No sábado (21/11) o Red White Sangari International Kart Grand Prix começou para valer, com a realização da tomada de tempos classificatórios, que definiu a ordem dos micromonopostos no grid de largada da primeira bateria qualificatória. Giuliano Raucci garantiu a quinta posição da grelha, enquanto Pietro Rimbano ficou com a segunda posição do grid. Autorizada a largada, o “Dollynho” – como é conhecido nas pistas brasileiras o piloto paulista – partiu decidido a conquistar rapidamente posições e entrar na briga direta pela vitória, mas, estranhamente, uma das rodas de seu kart desprendeu-se do conjunto, acompanhada do cubo de roda. Giuliano estava fora da corrida. Na seqüência, também estranhamente, o eixo do kart de Rimbano também apresentou problemas, determinando o abandono prematuro do kartista “brazuca” da corrida. Ante a excelência técnica dos mecânicos brasileiros que acompanharam o Brazilian Team, surgiu suspeita de eventual “sabotagem” nos micromonopostos.

 

Três horas depois, revisados os karts e redobrada a vigilância, Giuliano Raucci partiu para a segunda bateria qualificatória. Ante o abandono na prova anterior, Raucci teve de partir da 30ª colocação do grid, mas assim que autorizada a largada, Raucci partiu com a “faca nos dentes” e decidido a mostrar para malaios, macauenses, italianos, ingleses, irlandeses, japoneses, alemães, suíços, islandeses e membros das delegações dos demais paises que integraram o campeonato, por que é que os pilotos brasileiros são respeitados e temidos nas pistas de todos os continentes. Volta a volta o “Dollynho” ia conquistando posições e cristalizando a atenção do publico que, atônito, não acreditava estar vendo o kart #25 partir do final do grid para a primeira colocação.

 

Ovacionado pelo publico (e até concorrentes), Giuliano Raucci cruzou a linha de chegada na primeira colocação e trazendo consigo Pietro Rimbano – que largara em 29º, para formar a “dobradinha” brasileira.

 

Vitória é certamente um grande remédio, já que na manhã do dia seguinte, o domingo 22/11, reservado para as baterias Pré Final e Final – que definiria os campeões do Red White Sangari International Kart Grand Prix -, Giuliano Raucci amanheceu bem disposto e livre da renitente febre que o acometia. Pela soma dos resultados obtidos, Raucci alinhava na prova Pré Final na décima quinta posição do grid. A “diferença” é que desta vez, literalmente, todos olhavam atentamente para o pequeno Birel 25 e certos que assistiriam novamente uma grande performance.

 

Green flag e os coloridos micromonopostos partiram velozmente em direção à primeira curva do circuito de Sepang. Giuliano Raucci mais uma vez voava na pista e em menos de sete voltas já era o segundo colocado, na “bota” do piloto malaio que liderava a corrida e já tinha aberto larga vantagem para o restante do pelotão. Duas voltas depois o “Dollynho” já era o líder da corrida e nas seis voltas restantes passou a abrir vantagem volta a volta para o segundo colocado, até a apresentação da bandeira a quadros.

 

A intensa vibração nas arquibancadas e boxes deixava claro que Giuliano Raucci (Refrigerantes Dolly/ ULV/ KartZoom) conquistara mais do que sua segunda vitória em pistas internacionais. Conquistara o respeito dos adversários e o carinho do (grande) publico presente e mídia internacional.

 

Mais três horas e seria o momento da bateria Final e desta vez Giuliano Raucci largaria na pole position, ao lado do piloto malaio Suhaizarul Bin. Todavia o forte calor reinante e o clima de monções asiático determinaram a chegada de fortes chuvas sobre Sepang. Embora Giuliano seja extremamente hábil na condução de seu kart em pista molhada, o comportamento do chassis Birel italiano e dos pneus Mojo, diferentes dos utilizados no Brasil, era desconhecido dos mecânicos brasileiros, fato que dificultava, em muito o “ajuste fino” do kart para as condições de corrida. Além disso, o chassis Birel era mais curto que os chassis Intrepid utilizados pela maioria dos concorrentes – entre eles o de Pietro Rimbano – e Raucci desconhecia suas reações em piso escorregadio, bem como a capacidade de aderência do asfalto de Sepang sob chuva.

 

Nessas condições, a melhor alternativa era largar com cautela e no decorrer da corrida ir buscando os limites que a pista e o equipamento permitiriam.

 

Luz verde para a Final da Rotax MicroMax e Giuliano Raucci cumpriu à risca a estratégia elaborada, todavia foi surpreendido por Rimbano, que fizera uma grande largada, pulando da oitava para a primeira posição antes da primeira curva. O malaio Suhaizarul Bin era o terceiro colocado e seguia no mesmo ritmo dos brasileiros, que nitidamente buscavam abrir vantagem para garantir nova “dobradinha” verde-amarela.

 

Por quatorze das quinze voltas de corrida Giuliano acompanhou o ritmo ditado por Rimbano e na volta final partiu para o ataque, buscando definir a vitória e o titulo em seu favor, mas Rimbano também queria o titulo e recrudesceu, trancando a passagem. Sem espaço para manter o ataque e a trajetória, Giuliano teve de frear forte, dando espaço para Suhaizarul Bin conseguir ultrapassá-lo e assumir a segunda posição que ocupava. Raucci ainda tentou retomar a viceliderança da corrida, mas era a volta final e os três pequenos bólidos cruzaram a linha de chegada com Pietro Rimbano em primeiro, Bin em segundo e Giuliano Raucci na terceira colocação.

 

Com a vitória de Rimbano o titulo do Red White Sangari International Kart Grand Prix ficaria com o integrante do team brasileiro, todavia, na vistoria técnica obrigatória, os Comissários Técnicos constataram a utilização de aditivos no liquido de arrefecimento, o que é vedado desde os regulamentos CIK/FIA, até o RNK- Regulamento Nacional de Kart, posto que traz vantagem extra para o competidor. Ante o fato incontroverso, Pietro Rimbano foi desclassificado pelos Comissários Desportivos, deixando a vitória e o titulo de campeão para o malaio Suhaizarul Bin e o de vicecampeão para o “brazuca” Giuliano Raucci.

 

De quebra, Giuliano Raucci (Refrigerantes Dolly/ ULV/ KartZoom) recebeu como premio um cheque de três mil dólares. Ainda não é o “checão” de 100 mil reais da Seletiva de Kart Petrobras, que Raucci tem como objetivo conquistar no futuro, mas três mil dólares não é um premio nada desprezível.

“Estamos muito felizes com o resultado do Giuliano em sua primeira participação internacional, que foi muito além do que imaginávamos. Viemos para a Malásia com o objetivo de apenas aprender, mas estamos levando na bagagem um importante titulo para o Giuliano e para o Brasil e, principalmente, o carinho para conosco desse povo hospitaleiro, dos competentes organizadores e até dos concorrentes que fizeram questão de pedir para o Giuliano autografar suas placas de identificação (e até camisetas de fãs que conquistou)”, esclareceu o piloto de Shifter Kart Rogério Raucci, pai do jovem talento brasileiro e um dos grandes incentivadores do esporte no Brasil. “Mas levamos também mais uma importante lição: A de quanto é gratificante para um piloto defender as cores de seu país. Sempre víamos em entrevistas na mídia dos pilotos com carreira internacional essa afirmativa, mas apenas sentindo na pele essa sensação é que se percebe a dimensão desse fato, que talvez seja mais importante que as vitórias e títulos, pois não há nada mais rico que ver a vibração e sorrisos sinceros de gente desconhecida, mas claramente satisfeita com o desempenho de um piloto nas pistas”, concluiu Raucci Sr.

 

Confira os cinco primeiros da categoria Rotax MicroMax no Red White Sangari International Kart Grand Prix:

 

1º – Suhaizarul Bin – Malásia

2º – Giuliano Raucci (Refrigerantes Dolly/ ULV/ KartZoom) – Brasil

3º – Jon Lee Hao – Singapura

4º – Muhammad Hakim – Malásia

5º – Maximilian Fewtrell – Singapura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *