Kart: Organizadores esclarecem a mudança de local do Desafio Internacional das Estrelas

Sobre o noticiário veiculado hoje em alguns sites da Internet, no qual o piloto Aírton Daré acusa os organizadores do Desafio Internacional das Estrelas de não cumprirem seus compromissos, cumpre-nos esclarecer os seguintes pontos.

1 – No último dia 1º de julho, Aírton Daré faltou a um encontro com o empresário Carlinhos Romagnolli marcado para o Kartódromo Toca da Coruja, no qual o atual status do evento deste ano seria discutido. No dia seguinte, Aírton Daré compareceu ao local, mas dele se retirou sem procurar o representante do Desafio Internacional das Estrelas.

2 – O compromisso assumido com Aírton Daré previa a utilização do Kartódromo Toca da Coruja para a primeira edição da prova. A sua manutenção como palco do evento no futuro estava condicionada à avaliação de todos os aspectos que envolveram a sua organização – notadamente de infra-estrutura. Foi a partir dessa análise que se optou por procurar outras alternativas. O projeto de longo prazo em relação ao evento jamais esteve associado à sua realização no mesmo local.

3 – Sobre os “investimentos significativos em instalações para a imprensa e na adequação do autódromo às necessidades de televisionamento”, eles correram, na verdade, por conta dos organizadores. Os exemplos são a carreta utilizada como sala de imprensa e de entrevistas para tevê e o cabeamento aéreo para a transmissão ao vivo da corrida, já que o Kartódromo Toca da Coruja não oferecia condições para o cabeamento terrestre. O hipotético cancelamento de “toda a programação do kartódromo no segundo semestre para deixar tudo pronto dentro do prazo” não se justifica pela utilização do Desafio Internacional das Estrelas, uma vez que o evento começou a ser montado 10 dias antes da prova.

4 – A respeito de “provas seletivas entre os pilotos que quisessem enfrentar os grandes nomes da Stock Car e da Fórmula 1”, elas nunca foram consideradas, exatamente por serem frontalmente contrárias ao espírito que norteou a idealização do evento – uma prova que reunisse pilotos convidados, conhecidos e com títulos em seus currículos.

5 – Quando afirma que “o que me deixa mais aborrecido é eu ter ignorado os muitos avisos de não abrir mão de um contrato por escrito”, vale ressaltar que o compromisso verbal foi adotado de comum acordo entre Aírton Daré e Carlinhos Romagnolli Promoções e Eventos. Foram estes, aliás, os únicos interlocutores que discutiram os pormenores não apenas do Desafio Internacional das Estrelas, mas igualmente das três provas de Supermotard e um teste realizado pela revista “Moto” em 2005 e de uma prova de Supermotard e um teste para a mesma publicação em 2006. Felipe Massa, a quem Airton Daré também dirige suas acusações, cuidou unicamente do convite aos pilotos que participaram do Desafio Internacional das Estrelas.

Entendemos o desapontamento de Aírton Daré com a transferência do Desafio Internacional das Estrelas para outra praça, mas, da parte dos seus organizadores, o processo foi conduzido com honestidade, ética e transparência, condutas que sempre pautaram os 20 anos de existência da Carlinhos Romagnolli Promoções e Eventos.

São Paulo, 11 de julho de 2006

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *