Kart: Piloto passa 6h37 ao volante e leva equipe gaúcha à vitória no Brasileiro de Endurance

João Gonçalves, campeão mundial de kart em 2005, liderou a Targh 400 na conquista do título disputado em Itu, no Interior de São Paulo. Piloto enalteceu o trabalho do time, que chegou ao bicampeonato nacional sem enfrentar nenhum problema mecânico em 12 horas de prova.

Quem já teve a oportunidade de pilotar um kart – seja em uma competição oficial ou em uma pista de indoor – sabe o esforço a que este pequeno veículo de corrida submete os pilotos. Na modalidade, preparo físico e concentração são exigidos ao extremo até mesmo em corridas curtas, e tornam-se fundamentais em provas de longa duração. No último domingo, em Itu, no Interior de São Paulo, um piloto sentiu na pele o drama de passar exatas 6h37 ao volante – comprovadas pela súmula da direção de prova –, e liderou a equipe gaúcha Targh 400 na conquista do título no Campeonato Brasileiro de Endurance.

A prova, realizada no Kartódromo Arena Schincariol, teve pouco mais de 12 horas de duração e foi vencida pelo quinteto liderado pelo campeão mundial João Gonçalves. A Targh, que teve também os pilotos Pedro e Beto Gomes, Rogério Raucci e Fernando Wortmann, completou as 717 voltas da corrida com uma vantagem de apenas 16s794 sobre a equipe MG Pneus, segunda colocada, o que comprova a dramaticidade da disputa pela vitória no torneio nacional. Na terceira posição terminou a Ygor Kart Racing, com 13 voltas de desvantagem para os líderes.

Consciente da importância do trabalho em equipe em provas de longa duração, João ressaltou que a competência do time e a constância dos demais pilotos foram fatores determinantes na conquista da vitória. “Essa foi a corrida mais difícil e desgastante da minha vida, mas cada segundo valeu a pena”, comemorou Gonçalves, que embora já tivesse vencido o Campeonato Mundial em 2005 chegou no último domingo a seu primeiro título de Campeão Brasileiro. “E esta foi uma vitória de todo o grupo. Pilotamos por 12 horas e não tivemos nenhum problema mecânico que nos prejudicasse. Nada. E isso é o que decide uma corrida longa e por isso o mérito é de toda a equipe”, ressaltou o paulista, que pilotou por um tempo equivalente ao de quatro partidas e meia de futebol.

Pole position na quarta edição do Brasileiro de Endurance, João Gonçalves marcou, também, a melhor volta da prova, o que comprovou a competitividade da equipe Targh 400. A vitória, no entanto, veio com a ajuda da sorte, já que restando cerca de uma hora para o fim da corrida, a quebra do motor da MG recolocou o time gaúcho na liderança. “O trabalho do ‘Neco’, nosso chefe de equipe, foi fundamental. O entrosamento dos mecânicos, o acerto do kart, o desempenho e durabilidade do nosso motor, tudo funcionou perfeitamente. Construímos essa vitória ao longo da semana, e a ajuda da sorte foi bem vinda, naturalmente. Mas ela costuma ser fundamental em provas longas como essa”, acrescentou o campeão.

Após a conquista de seu primeiro título de Campeão Brasileiro de Kart, João Gonçalves terá três dias de descanso antes de voltar à pista para os treinos da sétima etapa do Campeonato Paulista de Kart. Líder da competição na categoria Biland, ele busca seu quarto pódio na temporada para se manter na briga pelo tricampeonato estadual. Os dez primeiros colocados na quarta edição do Campeonato Brasileiro de Endurance Kart em Itu foram:

1) Targh 400, 717 voltas em 12h00min45s383
2) MG Pneus / Sabiá, a 16s794
3) Ygor Kart Racing, a 13 voltas
4) Massoni Racing II, a 25 voltas
5) Camargo Racing, a 25 voltas
6) Spirit / Octane Sports, a 29 voltas
7) Sanremo / Ecotec, a 38 voltas
8) Fortek Sport, a 45 voltas
9) Nandinho GBS, a 57 voltas
10) Massoni Racing I, a 69 voltas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *