Kart: Ruiz Filho termina em 5º em sua primeira final da Seletiva Petrobras

“Foi razoável, nem bom, nem ruim”. Foi assim que o paulista Alexandre Ruiz Filho (Dermiwil/ Baby Go/ Mazzarello/ DMW Malas de Viagem/ Stanley) definiu sua estréia em uma final da Seletiva de Kart Petrobras, disputada ontem e hoje (20 e 21) no Kartódromo Dito Gianetti, em Piracicaba (SP).

O evento reuniu 14 pilotos, que se classificaram em provas realizadas no Brasil e na Argentina durante o ano, e ao vencedor, Rafael Suzuki, coube um prêmio de R$ 100 mil oferecido pela petrolífera brasileira. E, diga-se de passagem, o maior até hoje oferecido no kartismo brasileiro. “Era uma bela quantia, que eu usaria para dar continuidade a minha carreira no ano que vem. Mas não deu para ganhar e não tem problema, valeu pela experiência”, disse o piloto, logo após a disputa da última prova final.

Ruiz Filho, que havia se classificado ainda em fevereiro para a disputa, fez boas tomadas de tempo e garantiu sua vaga para as duas provas finais, que reuniram seis dos quatorze pilotos presentes, ao chegar em segundo em uma das classificatórias. “Eu estava liderando, mas aí senti o kart perdendo rendimento e terminei em segundo”, contou Ruiz Filho. “E como o segundo lugar me classificava sem ter necessidade de passar por uma repescagem, fiquei tranqüilo”, emendou.

Na primeira das duas finais Ruiz Filho foi obrigado a abandonar, com problemas em seu motor. E na segunda final, com o kart tendo um rendimento abaixo do esperado, ele recebeu a bandeira em quarto. Ao final de tudo, o piloto Dermiwil/ Baby Go/ Mazzarello/ DMW Malas de Viagem/ Stanley terminou na 5ª posição na classificação geral. “Como estréia foi muito legal, afinal em minha primeira participação eu fui para a final, superando alguns pilotos mais experientes”, avaliou o piloto.

“Mas como resultado eu, sinceramente, esperava mais. Eu tenho certeza de que, por minhas condições e pela igualdade de equipamento que temos na final da Seletiva Petrobras, eu poderia ter brigado pelo título. Mas em automobilismo é assim mesmo, nem sempre as coisas acontecem do jeito que queremos”, finalizou o piloto, que na próxima temporada competirá no Campeonato Norte-Americano de Fórmula BMW.

Foto: Fábio Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *