Mil Milhas Brasil: Andreas Mattheis, Xandy e Xandinho Negrão ficam em oitavo na classificação geral

O trio formado por Andreas Mattheis, Xandinho e Xandy Negrão (Medley) ficaram com a segunda posição da LMGT2 na 51ª edição das Mil Milhas Brasil, realizada neste sábado, no Autódromo de Interlagos. Os brasileiros que correram com uma Ferrari F430 da JMB Racing completaram 324 voltas na oitava colocação geral e foram os melhores entre os nove pilotos país na mais competitiva das quatro categorias que compuseram o evento. Depois de largarem no 12º lugar do grid, ficaram atrás somente do Porsche 997 da Felbermayr, que guiado pelos alemães Marc Lieb e Marc Basseng e pelo francês Xavier Pompidou finalizou a prova com 326 giros.

“Foi uma corrida muito dura do ponto de vista físico e que exigiu muito, principalmente de mim e do Andreas, que temos mais idade”, brincou Xandy Negrão. “Tivemos que andar rápido o tempo todo para superar nossos adversários. O nível da prova foi altíssimo e por isso não escondo de ninguém que foi uma grata surpresa ter chegado na segunda colocação”, completou. “Minha equipe e a família Negrão fez um excelente trabalho. Por isso conseguimos alcançar este expressivo resultado”, sintetizou Mattheis.


Na LMP1, a mais veloz das quatro categorias que compõe as Mil Milhas Brasil, o francês Stéphane Sarrazin e o português Pedro Lamy conquistaram o título do Mundial de Pilotos da Le Mans ao cruzar a linha de chegada em Interlagos na 2ª colocação. A vitória ficou com o outro carro da Peugeot, guiado pelo francês Nicolas Minassian e o espanhol Marc Gene, que completaram as 374 voltas em Interlagos após quase nove horas de corrida. Ficaram 11 giros à frente dos campeões.


Sarrazin, que havia cravado a pole na quinta-feira pela primeira vez na temporada, viu seu companheiro Lamy largar na última fila por conta de problemas no pedal da embreagem durante o warm up. Mas a recuperação ao longo dos 1.600 km foi excelente e, em nove voltas, a dupla já estava em sétimo lugar. A vice-liderança veio em menos de uma hora de prova. “Tivemos tantos percalços durante a corrida que por alguns momentos cheguei a temer pela conquista do campeonato. Mas o mais importante foi que conseguimos nos recuperar bem e agora temos muito a comemorar”, disse Sarrazin, que cravou a melhor volta com 1min24s226.


Na LMP2, a vitória ficou com Juan Barazi, Michael Vergers e Karin Ojjeh, que a receberam de bandeja após problemas de seus concorrentes. O Pilbeam Judd que tem o brasileiro Paulo Bonifácio no seu trio de pilotos teve problemas na primeira volta. Depois de retornar à pista sem conseguir se recuperar, o francês Pierre Bruneau chocou-se contra a grade de proteção no S o Senna depois de 203 giros. Já o Radical SR9 pilotado por Warren Huges, Mario Haberfeld e Darren Manning quebrou a suspensão traseira direita na final da reta oposta quando lideravam a categoria após 261 voltas.


O Aston Martin guiado pelo brasileiro Fernando Rees, o francês Roland Berville, o escocês Gregor Fisken e o suíço Steve Zacchia terminou a prova na sexta colocação geral e foi o vencedor na GT1, que contou com apenas dois carros no grid. A Alphaland Adentures, que correu com um Corvette C6, foi apenas a 11ª colocada.


“A presença de uma categoria como a Le Mans no Brasil é muito boa para fortalecer o automobilismo nacional. O País cresce economicamente e também em imagem. Fiquei muito feliz com meu resultado aqui. Não corria em Interlagos há três anos e meu retorno não poderia ter sido melhor”, finalizou Xandinho Negrão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *