Moto 1000 GP: Alex Barros volta a vencer e Pierre Chofard quebra recorde

Veterano de participações no Mundial comemora em Curitiba e piloto da Pitico Race cumpre a volta mais rápida da história

Em sua volta às pistas de motovelocidade mais de cinco anos depois da última participação no Mundial de Superbike, Alexandre Barros foi ao topo do pódio. Ele venceu neste domingo (19) a segunda etapa do Moto 1000 GP, pela categoria GP 1000, no Autódromo Internacional de Curitiba. O argentino Luciano Ribodino, seu companheiro de equipe na Alex Barros Racing, e Pierre Chofard, da Pitico Race, completaram o pódio.

 

A participação de Barros no Moto 1000 GP faz parte da estratégia de desenvolvimento de seu filho Lucas Barros, que disputa a categoria GP Light, e de Ribodino. “É o projeto desde a criação da equipe, acompanhar o Luciano na pista, então eu tenho treinado, mas não corrido. Não posso dizer se vou ou não correr a temporada toda. Vai depender do que os patrocinadores decidirem”, disse o piloto, que não disputou a etapa de São Paulo.

 

Ribodino comemorou o resultado. “Estou muito contente por correr no Brasil, no Moto 1000 GP, em conseguir um pódio. Estou aprendendo muito. Na corrida de hoje eu tive uma dificuldade com o câmbio, não conseguia engatar as marchas, isso me fez perder rendimento”, declarou o argentino. Ele chegou a sair da pista ao fim da reta oposta na décima volta, quando liderava a prova pela segunda vez, e caiu para o quarto lugar.

 

Um dos grandes destaques da corrida ficou por conta de Chofard, que largou em terceiro e teve um duelo particular com o companheiro de equipe Alan Douglas no início. Pierre esteve em segundo em duas oportunidades. Na segunda, da 10ª à 16ª volta, pressionou bastante o líder Barros – e, tal qual ocorrera com Ribodino, saiu da pista ao fim da reta principal, depois de errar o ponto de frenagem, perdendo o segundo lugar para o argentino.

 

“Eu fiz uma boa corrida, tive duas ótimas disputas. Foi bom competir contra um cara do nível do Alex”, avaliou. “Eu vinha bem, bem próximo dele, e infelizmente errei um ponto de freada. E, além de me distanciar da briga pela vitória, perdi o segundo lugar. Mas estou contente por me sentir competitivo”, avaliou o piloto, que empata com Ribodino na vice-liderança com 33 pontos, a cinco de Alan Douglas, que terminou a corrida em quarto.

 

Além de tomar parte de disputas que mereceram aplausos do público presente ao autódromo localizado na cidade de Pinhais, Chofard consolidou um feito histórico: estabeleceu um novo recorde de tempo de volta para a pista paranaense. Ele cobriu os 3.695 metros do traçado em 1min20s975, a volta mais rápida já cronometrada em uma corrida de motovelocidade no circuito. “O nosso ritmo estava bom, mesmo”, definiu, cometido.

 

Douglas, campeão em 2011 e líder da temporada, teve uma atuação conservadora e terminou em quarto. “A gente não tinha o melhor dos acertos aqui, então o importante é marcar o máximo possível de pontos”, ponderou. O quinto colocado foi o paulista Ricieri Luvizotto, paulista inscrito com a Aprilia da Target Race. Em sexto ficou o paranaense Gustavo “Gringo” Rodríguez, com a BMW da Grinjets. Ele foi vencedor da subdivisão GP Máster.

 

Depois de 18 voltas, o resultado final da GP 1000 na segunda etapa do Moto 1000 GP foi o seguinte:

 

1º) Alexandre Barros (BMW S1000RR), Alex Barros Racing, 24min41s051

2º) Luciano Ribodino (BMW S1000RR), Alex Barros Racing, a 6s982

3º) Pierre Chofard (Kawasaki ZX-10R), Pitico Race, a 10s179

4º) Alan Douglas (Kawasaki ZX-10R), Pitico Race, a 12s088

5º) Ricieri Luvizotto (Aprilia RSV4 APRC), Target Race, a 34s500

6º) Gustavo Rodríguez (BMW S1000RR), Grinjets Superbike, a 34s501

7º) Victor Moura (BMW S1000RR), Compezione VMX Racing, a 50s247

8º) Carlos Poton Medeiros (Honda CBR 1000RR), Cigano Racing, a 1min14s142

9º) Daniel Lenzi ((Honda CBR 1000RR), Grinjets Superbike, a 1 volta

10º) André de Araújo Carvalho (Suzuki GSX-R1000), SBK Rio, a 1 volta

11º) Eduardo Costa Neto (Honda CBR 1000RR), RF Racing Mobil Rush Team, a 1 volta

12º) Sérgio Laurentys (BMW S1000RR), RF Racing Mobil Rush Team, a 1 volta

13º) Eliandro Simonini, (Kawasaki ZX-10R), Moto 3, a 1 volta

14º) Walter Haertel Júnior (Honda CBR 1000RR), Duas Rodas Racing Team, a 1 volta

15º) Alberto Braga (Suzuki GSR-R1000), Center Moto Racing Team, a 1 volta

16º) Sidnei Scligliano (Suzuki GSX-R1000), Motrix-Scigliano Racing, a 1 volta

17º) Elson Tenebra Otero (Kawasaki ZX-10R), Rota K/Vaz Racing, a 1 volta

18º) Nelson Gonçalves de Oliveira (Suzuki GSX-R1000), SBK Rio, a 1 volta

19º) Darci Cezar Anadão (Honda CBR 1000RR), Duas Rodas Racing Team, a 1 volta

20º) Carlos Quintas (Kawasaki ZX-10R), Center Moto Racing Team, a 2 voltas

NÃO CLASSIFICADOS

Marcos Christian Salles (BMW S1000RR), Grinjets Superbike, a 6 voltas

Hélder Shad (BMW S1000RR), SBK Rio, a 9 voltas

Victor Braga (Suzuki GSR-R1000), SBK Rio, a 14 voltas

Murilo Colatreli (Kawasaki ZX-10R), Colatreli Racing, a 16 voltas

Melhor volta: Chofard, na 5ª, 1min20s975, média de 164,273 km/h

 

CLASSIFICAÇÃO

A classificação da GP 1000 depois de duas corridas é esta: 1º) Alan Douglas, 38 pontos; 2º) Luciano Ribodino e Pierre Chofard, 33; 4º) Alexandre Barros, 28; 5º) João Simon, 20; 6º) Ricieri Luvizotto, 18; 7º) Gustavo “Gringo” Rodríguez, 15; 8º) Eduardo Costa Neto, 13; 9º) Murilo Colatreli, 11; 10º) Jaime Cristóbal, Sérgio Laurentys e Alberto Braga, 10; 13º) Victor Moura, 9; 14º) Carlos Poton Medeiros, 8; 15º) Daniel Lenzi, 7.

A próxima etapa do Moto 1000 GP tem suas provas confirmadas para o dia 23 de setembro em Santa Cruz do Sul (RS). Depois disso, a categoria terá etapas em Brasília (DF), Cascavel (PR) e Rio de Janeiro (RJ) – as duas últimas terão rodadas duplas para as categorias GP Light e GP 1000.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *