Moto 1000 GP: Pilotos frisam proposta positiva do novo evento

Pilotos frisam características da proposta do novo Moto 1000 GP
Categoria terá primeiras corridas de sua história na tarde desta sexta-feira no autódromo paulista de Interlagos

Os primeiros treinos para a etapa de abertura do Moto 1000 GP, nesta quinta-feira (7) no Autódromo José Carlos Pace, em São Paulo, causou impressão positiva aos pilotos inscritos. Os participantes das três categorias em que o novo campeonato é subdividido frisaram pontos da proposta do evento, cujas primeiras corridas acontecerá na tarde desta sexta (8) – a GP Light e a BMW S1000RR Cup largam às 12h50, com a prova da GP 1000 começando às 14h10.
A pista úmida no início do dia fez com que alguns pilotos poupassem seus equipamentos. É o caso de Osmar Gonçalves, inscrito na categoria GP 1000 com a Honda número 60 da equipe Osmar Racyng. “O dia não começou muito propício e eu preferi deixar o ritmo mais forte para a parte da tarde. Acabou dando certo, a pista secou e está todo mundo aí, acelerando. E tenho que dizer que o Moto 1000 GP tem uma proposta muito plausível para os pilotos”, frisou.
Com a entrada no Moto 1000 GP, Gonçalves, que pilota a Honda número 60 e tem o apoio de ACT Comunicação & Marketing, passa a conciliar a atuação em três competições de motovelocidade. “Quanto mais campeonatos existirem é bem melhor para os pilotos, para o desenvolvimento da pilotagem. É sempre mais interessante quando há mais propostas. A proposta aqui é interessante, permite ao piloto interagir com tudo que acontece”, falou.
Ricardo Kastropil estreia no Moto 1000 GP na BMW SS1000R Cup. A proposta de preparação de todas as motos por uma única equipe técnica – que no caso é designada pela organização do evento – foi bem aceita, segundo ele. “Em dois treinos livres a gente pôde ver que as motos são mesmo muito niveladas, têm o mesmo rendimento e valorizam bastante o trabalho que o piloto consegue fazer. Achei ótimo isso”, declarou o piloto da equipe Castropil.
Uma das inovações que mereceram o voto de aprovação de Kastropil foi o controle de tração adotado para as motos S1000RR. “Eu estou me adaptando à novidade, ainda, mas é um recurso que traz muito benefício ao piloto. Nas motos de 1.000cc, se você der aceleração, a tendência é da moto escapar. Aqui o controle dá mais segurança, dosando a potência. É sensacional”, avalizou o piloto, que compete com apoio de Copobras, Castropil Embalagens e Infocas.
Nick Iatauro, inscrito na GP Light, observou que o Moto 1000 GP propõe o mesmo conjunto de regras de outros campeonatos de motovelocidade. “Não tem uma mudança brusca, mas o modo de fazer valer a regra é o diferencial, deu para perceber uma diferença absurda no modo de colocar essas regras em prática. É um campeonato que começa com uma cara bem profissional”, definiu o paulistano que compete pela equipe Alezzy Racing.
Iatauro chamou atenção, também, para o trabalho de bastidores realizado pela equipe de produção do Moto 1000 GP. “Você observa que o padrão é outro em tudo, no buffet, na estrutura dos boxes, em tudo por aqui. A organização está de parabéns”, acrescentou o piloto, que tem em sua moto BMW o número 39 e as cores e logomarcas de Underbrazil e Fluxo Cross Mídia. Os treinos classificatórios em Interlagos nesta sexta-feira (8) terão início às 9h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *