Moto: Arena Cross homenageia grandes nomes do motociclismo em Botucatu

Pilotos receberam uma placa de honra ao mérito e uma credencial vitalícia que dá acesso a todos os eventos promovidos por Carlinhos Romagnolli.

A empresa Carlinhos Romagnolli Promoções e Eventos promoveu no último dia 18, em Botucatu (SP), durante a última etapa do Arena Cross, uma homenagem a alguns dos melhores pilotos da história do motociclismo nacional e internacional.

A homenagem comemora os 23 anos de sucesso da empresa e os 10 anos do Arena Cross. Os pilotos receberam uma placa de honra ao mérito e uma credencial vitalícia que dá acesso a todos os eventos promovidos por Carlinhos Romagnolli.

Estiveram presentes em Botucatu Roberto Boettcher, Álvaro Candido Filho (Paraguaio), Roque Comam, João Cardeli e Mauro Guazzeli Gomes (Rosera). Também vão receber a homenagem Alexandre Barros, André Marcos de Azevedo, Cássio Garcia, Cristiano Lopes, Juca Bala, Jorge Negretti, Klever Kolberg, Nuno Narezzi, Rogério Nogueira, Adilson Zaccari Cajuru, Marlon Olsen, Pedro Bernardo Raymundo (Moranguinho) e Taxinha.

Roberto Boettcher, 51, ficou muito feliz por ter seu nome lembrado. “É um reconhecimento por tudo que fiz pelo esporte”, diz Boettcher, que se orgulha ter sido o único piloto Brasileiro a disputar as 12 etapas do Campeonato Mundial de Motocross em 1977. Ele morou na Holanda e ao longo da carreira representou o Brasil em 31 países. Tem em seu currículo, entre outros títulos, três campeonatos paulistas, três brasileiros e um latino americano de motocross. Atualmente, Roberto Boettcher é Presidente da Federação de Motociclismo do Estado de Goiás.

Mauro Gomes, 45, conhecido nas pistas como Rosera, também demonstrou satisfação. “Sinto-me reconhecido por alguém que representa muito no esporte, que é o Carlinhos Romagnolli. Ele tem muito a falar e sua voz merece eco, por isso me sinto realmente feliz”, afirma. Rosera foi campeão Paulista de Motocross, de Enduro de Velocidade da Copa Yamaha DT 200. Atualmente é comerciante do ramo de motocicletas.

Para Álvaro Candido Filho, Paraguaio para alguns e Véio para outros, a homenagem tem um significado especial. “Estou com 50 anos de idade e ser considerado um ídolo nesta altura só me dá motivo de muita alegria e orgulho, principalmente por ser lembrado por muitos como a “Lenda Viva” do Motocross Brasileiro”, diz.

Paraguaio é considerado o quarto mosqueteiro do motociclismo, ao lado de Nivanor Bernarde, Roberto Boetcher e Moranguinho. “Anos já se passaram e ainda quando brinco de moto a torcida ainda pensa que eu sou aquele guerreiro de antes, mas isso é impossível. A idade chega e o esporte não perdoa! Outros jovens vieram com novas técnicas, arrojos e determinação, e temos que encarar a dura realidade: o tempo passa…”, brinca a fera que neste ano disputou a categoria SM3 do Super Arena Motos e ficou entre os cinco melhores.

O paulista João Cardeli, 50, se emocionou. “É muito bom ser lembrado ao lado de tanta gente boa, é uma honra estar aqui hoje”, disse. Atualmente o ex-piloto é organizador de provas de motocross. Tem como principais títulos da carreira o tri-campeonato paulista de Enduro de Velocidade e título da primeira edição do Rally dos Sertões.

O uruguaio Roque Colmán, aos 63 anos, ainda disputa algumas provas de motocross, agora na categoria Sênior, onde inclusive chegou a ser bi-campeão mundial. Também foi vencedor no Enduro de Velocidade, Copa Tauber e Copa Belco, ambas promovidas por Carlinhos Romagnolli Promoções e Eventos. Colmán trabalha no ramo de peças para motocross e motos de competição.

“É o mínimo que podemos fazer. A história de vários desses pilotos se confunde com a própria história da nossa empresa, participando e elevando o nível de vários campeonatos”, justifica a homenagem o empresário Carlinhos Romagnolli.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *