Moto: Gilson Scudeler vence etapa de abertura do Brasileiro de Superbike em Jacarepaguá

Campeão nas sete últimas temporadas, piloto do Team Scud Racing consegue reação eficiente depois de perder posições na largada.

Foi de Gilson Scudeler a vitória na primeira etapa da categoria Superbike do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. O paulista do Team Scud Racing dominou a corrida, disputada em bateria única neste domingo (31) no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, levando a Honda número 1 à vitória sob um calor de 32 graus, que desafiou os pilotos com índices acentuados de desgaste de pneus.

“Mais uma vez, consegui começar uma temporada da mesma forma como terminei o campeonato anterior, ou seja, com vitória. É muito gratificante”, festejou o piloto, que conquistou o título da categoria Superbike em 2006, 2007 e 2008 – antes, entre 2002 e 2005, obteve quatro títulos consecutivos na Supersport, então a principal categoria da competição nacional. “Essa foi uma vitória que premiou os vários obstáculos que superamos”, disse.

Scudeler chegou ao primeiro lugar mesmo tendo sua moto, decorada nas BR Petrobras, Honda, GP Lubrax, Arlen Ness, Akrapovic, Shark, Afam, Ferodo, Puig, Rizoma, BMC, Hotbodies, Samacar, Luna e Calfin, ainda configurada pelo regulamento técnico praticado no ano passado. “O regulamento deste ano liberou a preparação das motos, mas isso só foi anunciado a poucos dias da corrida, nós não tivemos tempo para fazer as adaptações”, explicou.

Os testes de dinamômetro feitos logo após o encerramento da corrida no Rio acusou a menor potência do motor da moto de Scudeler, não submetido às liberações recentes. “O teste no dinamômetro mostrou que eu tinha até 15 cavalos de potência a menos que alguns outros pilotos. Isso valoriza bastante o resultado que nossa equipe conquistou no Rio. Foi uma vitória de superação”, acrescentou o heptacampeão brasileiro de motovelocidade.

Largando da pole, Scudeler adotou uma estratégia conservadora. “Eu não quis forçar o ritmo na primeira curva, que é muito fechada, acho que foi cauteloso até demais. Caí para quinto. Completei a primeira volta já em segundo”, resumiu, acerca de sua atuação na primeira volta. A essa altura, o também paulista José Luís Teixeira, que largou em segundo, liderava a disputa com aproximadamente quatro segundos de vantagem.

“Comecei a descontar meio segundo por volta, em média. Na 12ª volta, fiz a ultrapassagem sobre o Teixeira e comecei a abrir um pouquinho de vantagem. O problema é que o calor estava bem mais forte que nos treinos, isso comprometeu a durabilidade dos pneus”, relatou o vencedor, reforçando a dificuldade que teve nas voltas finais. “Os pneus estavam bastante deteriorados nas quatro ou cinco últimas voltas, a moto ficou instável”.

Depois de 22 voltas, os 10 primeiros colocados na corrida deste domingo em Jacarepaguá foram os seguintes:
 
1º) Gilson Scudeler (SP/Honda)
2º) José Luiz Teixeira (SP/Yamaha)
3º) Murilo Colatrelli (SP/Suzuki)
4º) Bruno Corano (SP/Suzuki)
5º) Rodrigo de Benedictis (SP/Suzuki)
6º) Ricardo Simohara (SP/Suzuki)
7º) Alecsandre Brieda (MG/Honda)
8º) Sarin Carlesso (RS/Suzuki)
9º) Daniel Mendonça (BA/Honda)
10º) Paulo Amaral (SP/Suzuki)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *