Motocross: Pro Tork Racing Team na briga pelo Brasileiro

A equipe oficial da Pro Tork está em Coxim em busca de novos pódios; a segunda etapa do Brasileiro de Motocross acontece neste final de semana.

Garantir pontos importantes na competição é o objetivo de cada um dos integrantes da Pro Tork Racing Team, equipe oficial da Pro Tork.  O time está em Coxim, Mato Grosso do Sul, para a segunda etapa do Brasileiro de Motocross. As corridas estão marcadas para este final de semana no Parque de Exposições da cidade. Milton Becker Chumbinho briga pela MX3, João Paulino Marronzinho pela MX1 e Rafael Faria, mesmo vindo de uma lesão recente no pulso, busca seu lugar no gate da categoria MXJr. O paulista Rafael Zenni visa o pódio tanto na MX2 quanto na MX1 e Douglas Santos, o mais novo integrante da equipe, disputa a 85cc. Paulinho Stedile (MX2) fraturou a mão e fica de fora desta etapa, assim como Nico Rocha (MX3) que, ainda lesionado na coluna, não corre em Coxim.

Para o catarinense Chumbinho, a segunda etapa promete ser mais tranqüila. Ele está mais seguro para a briga pois está com uma moto de 450cc adaptada para sua categoria, a MX3. Na etapa de abertura, Chumbinho se preparou com uma 250cc para disputar a MX2 mas, na última hora, com a ausência de Nico Rocha que estava lesionado, correu a MX3 com uma moto menos potente do que seus adversários. Mesmo assim, subiu ao pódio com a segunda posição. “Acredito que agora vou somar pontos importantes”, comentou.

Marronzinho também se sente melhor preparado para a briga da MX1 na segunda etapa. “No ano passado eu corri nesta pista e venci. Gosto muito daquele tipo de terreno, é bem parecido com o que estou acostumado a treinar. Acho que tudo vai dar muito certo. Estou bem melhor do que na primeira etapa”, disse confiante.

Rafael Faria sofre u uma contusão no pulso durante a etapa de abertura do nacional. Após passar por uma cirurgia, ele está se recuperando e mesmo com a lesão recente busca garantir pontos na MXJr. Rafael Zenni, piloto paulista, corre em busca de um lugar ao pódio em duas categorias: a MX1 e a MX2. O jovem Douglas Santos, de apenas 12 anos, disputa a 85cc. “Estou bastante confiante”, disse.

A Pro Tork Racing Team terá dois desfalques em Coxim. Nico Rocha segue em recuperação de sua lesão na coluna e ainda não poderá entrar na briga da MX3. Já Paulinho Stedile sofreu uma lesão na mão durante a corrida do Catarinense de Motocross, no final de semana passado, e fica de fora da MX2. Após a disputa das grandes motos, a pista será invadida pelas minimotos Pro Tork para a disputa da segunda etapa da categoria TR50F para adultos.

Incentivo a o esporte – A Pro Tork demonstra grande interesse em descobrir novos talentos e incentivar o esporte. Com esse objetivo, ela oferece total apoio a alguns pilotos de motocross de diferentes estados. Para esta temporada, os competidores que já contam com esse patrocínio são Cristopher Pipo Castro, Deni Marques, o Tuka, e Fábio Andolhe.

Pipo Castro é catarinense da cidade de São José. Ele disputa a categoria MX1 do Brasileiro e é bicampeão do ArenaCross. Deni Marques, conhecido como Tuka, é goiano e estará na disputa da categoria MXJr no nacional. A Pro Tork também apóia um piloto do Rio Grande do Sul. Fábio Andolhe, que venceu a primeira etapa da MX1 no Arena Cross 2007, também estará em Coxim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *