Motovelocidade: Brasileiro de Motovelocidade empolga os gaúchos

Público compareceu em peso para prestigiar as vitórias de Gilson Scudeler (Superbike), Murilo Ribeiro (250cc), Otávio Lucchini (250Jr) e Carlos Cruz (Hornet).

A velocidade esteve a mil neste domingo, no autódromo de Santa Cruz do Sul (RS). O local foi palco da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade e as corridas empolgaram o público estimado em 12 mil pessoas, que doaram alimentos não perecíveis para instituições da região em troca de ingressos. Os gaúchos prestigiaram ainda as vitórias de Gilson Scudeler (Superbike), Murilo Ribeiro (250cc), Otávio Lucchini (250Jr) e Carlos Cruz (Hornet).

O evento começou com a bateria da Superbike. Logo na segunda curva, o goiano Cristiano Vieira se envolveu em um acidente e caiu, mas não se machucou. Porém, sua moto derramou grande quantidade de óleo na pista, paralisando a competição por quase duas horas, já que a organização não poupou esforços para deixar o local seguro. O atraso não desanimou o público nem os pilotos, qu e garantiram a festa da segunda etapa.

Clique aqui para acessar as classificações completas do Brasileiro. A terceira etapa do campeonato está marcada para os dias 28 e 29 de julho, em Cascavel (PR). Veja o que disseram os campeões do dia:

Gilson Scudeler – “É a terceira vitória da minha carreira em Santa Cruz do Sul, ou seja, tenho ótimas recordações daqui. A organização da prova resolveu de forma excelente o problema do derramamento de óleo na pista. O piso não estava escorregadio e a segurança ficou garantida.”

Murilo Ribeiro – “Aproveitei um erro do Maico Teixeira na oitava volta, quando havia muitos retardatários. Consegui imprimir o ritmo e não me senti cansado. Espero conseguir repetir os bons resultados nas próximas etapas.”

Otávio Lucchini – “Estou muito feliz com a vitória. Andei sempre entre os primeiros e o público gostou bastante da corrida.”

Carlos Cruz – “Foi extremamente difícil e tive que esperar a última volta para confirmar o resultado. Disputei posições o tempo todo com o Fábio Peasson e o Doca (Alecsandre Brieda). Acabou dando certo e estou muito feliz.”

O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tem organização e promoção da Fatto, supervisão da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo), patrocínio de Honda e Mobil, co-patrocínio de Pirelli e apoio de Arlen Ness, Volkswagen Caminhões e Silmar Ferramentas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *