Outra: Diego Freitas estréia na preliminar do BTCC neste final de semana

Piloto baiano será o primeiro brasileiro a disputar a Ginetta G50 Cup, uma das categorias de acesso ao principal campeonato de carros de turismo do Reino Unido. Provas serão no circuito de Croft.

Um novo caminho para os pilotos brasileiros que pretendem seguir carreira no automobilismo europeu começa a ser trilhado nesta semana pelo baiano Diego Freitas. Vice-campeão da Fórmula Renault e destaque na temporada de 2008 da Copa Vicar – quando conquistou uma pole position no Rio de Janeiro – Diego contornou de maneira criativa a falta de patrocínio e os altos custos do automobilismo de base nacional e confirmou presença nas três próximas corridas de uma das categorias de acesso ao BTCC, principal campeonato de carros de turismo da Inglaterra.

Freitas fará a rodada tripla deste final de semana do Ginetta G50 Cup, um torneio ainda pouco conhecido por aqui, mas que reúne 22 carros de potência próxima ao dos modelos da Copa Vicar. A opção pelo torneio, segundo o piloto, pode parece ousada para os brasileiros, mas tende a abrir a ele as portas de uma carreira profissional na Europa.

“Corro desde criança e sempre quis ser um piloto profissional, fosse na Fórmula 1, na Stock Car ou em qualquer outra categoria do mundo”
, disse Freitas. “E é com esse espírito que chego ao Ginetta G50 Cup. O campeonato é pouco conhecido aqui no Brasil, e pela rápida pesquisa que fiz, serei o primeiro brasileiro a correr lá. Mas na Inglaterra o evento faz as preliminares do BTCC, e é mirando na principal categoria de carros de turismo do Reino Unido que encaro esse desafio”, acrescentou o brasileiro.

O Ginetta G50 Cup é um torneio com carros construídos especialmente para competição, que trazem linhas bastante parecidas com as do Dodge Viper – modelo que faz sucesso nos campeonatos de GT3. Com pouco mais de 300 cv de potência, o motor Ford da categoria garante ao modelo um desempenho ligeiramente superior ao da Copa Vicar.

“Tecnicamente, o Ginetta se assemelha bastante ao que eu estava acostumado aqui no Brasil, a não ser pelo volante posicionado do lado direito. Com isso, terei que fazer as trocas de marcha com a mão esquerda, uma novidade na minha carreira. Certamente vou levar alguns treinos para aprender, mas o câmbio seqüencial certamente vai facilitar meu trabalho”
, comentou o baiano.

Diego terá um final de semana intenso na Ginetta G50 Cup. A programação do evento prevê para esta sexta-feira o início dos dois treinos livres oferecidos aos pilotos. No sábado e no domingo, o brasileiro disputará, ainda, uma sessão de classificações e três corridas.

“Fiz a primeira prova da Copa Vicar neste ano, e quero muito correr em Salvador, na pista de rua que ajudei a projetar”
, disse Freitas. “Mas além de ser mais difícil conseguir patrocínio no Brasil, os valores praticados por aqui estão muito altos em comparação com a Europa. Creio que lá a crise internacional bateu mais forte, e por isso o momento se tornou oportuno para essa minha estréia no automobilismo inglês”, encerrou o baiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *